Destaques

Acusado pela morte do jogador Daniel, Edison Brittes é condenado por receptação

O empresário Edison Brittes, que confessou ser o autor do assassinato do jogador Daniel Corrêa Freitas, foi condenado pela Justiça do Paraná por receptação de carro roubado. Ele foi sentenciado a um ano e quatro meses de prisão no regime semiaberto.

De acordo com a denúncia do Ministério Público do Paraná, Edison Brittes foi flagrado no dia 6 de fevereiro de 2015 com o carro, que havia sido roubado quatro meses antes, em Porto Alegre.

Conforme a sentença da 12ª Vara Criminal de Curitiba, o empresário não apresentou provas de que o carro era dele. Além disso, os valores apresentados na versão do acusado não correspondiam com a realidade. Por isso, o réu foi considerado culpado pelo crime de receptação de carro roubado.

Neste caso, a pena é para ser cumprida regime inicialmente semiaberto, mas Edison Brittes está detido. Ele vai recorrer da decisão ainda preso, mas por causa do suposto assassinato do jogador Daniel Corrêa Freitas.

O QUE DIZ EDISON BRITTES

A defesa de Edison Brittes vai recorrer da decisão no Tribunal de Justiça do Paraná. Conforme nota dos advogados, a apelação já foi encaminhada.

A sentença que condenou o empresário também conhecido como Juninho Riqueza por receptação de carro roubado foi assinada pelo juiz José Daniel Toaldo no dia 25 de setembro.

CASO DANIEL

Em outra ação penal, Edison Brittes aguarda a decisão da Justiça do Paraná sobre o Caso Daniel. O empresário confessou ser o autor do assassinato do jogador Daniel Corrêa Freitas e está preso preventivamente desde novembro de 2018.

Depois de ouvir testemunhas de acusação e defesa, de interrogar os réus e receber as alegações finais, a Vara Criminal de São José dos Pinhais, na Grande Curitiba, precisa decidir se os sete réus vão, ou não, a júri popular.

O corpo do Daniel Corrêa foi encontrado por moradores em uma área de mata na cidade de São José dos Pinhais no dia 27 de outubro de 2018. Ele estava nu, com diversos cortes, dois deles profundos na região do pescoço, e teve o pênis decepado. O órgão estava pendurado em uma árvore a 20 metros de onde o corpo foi encontrado.

O jogador foi revelado pelo Cruzeiro, mas teve passagens pelo Coritiba, São Paulo, Ponte Preta, Botafogo e São Bento.

Ele viajou para Curitiba comemorar o aniversário de Allana Brittes, no dia 26 de outubro de 2018. Ela celebrou o aniversário de 18 anos em uma casa noturna, no bairro Batel, mas a comemoração se estendeu na casa dos pais, Cristiana e Edison. Foi na residência da família Brittes que o jogador teve seu último contato com os amigos.

Edison acusou Daniel de estuprar sua mulher e o atleta acabou sendo espancado. Depois ele conduzido no porta-malas do carro de Edison até a Colônia Mergulhão, onde foi morto.

Angelo Sfair e Alexandra Fernandes – Paraná Portal

Escreva um comentário