Destaques

Acusados pela morte do torcedor do Paraná Clube são absolvidos

O três torcedores do Athletico acusados de matar o torcedor do Paraná Clube, Diego Henrique Raab Gonciero, de 16 anos, foram absolvidos do crime.

Depois de dois dias, o julgamento terminou perto das 3h30, da madrugada deste sábado (14).

Responderam pelo crime Juliano Rodrigues, Fábio Marques e Gilson da Silva Teles, que na época eram ligados à torcida atleticana Os Fanáticos.

Para advogado de defesa dos acusados, Cláudio Dalledone Jr., a justiça feio feita e o resultado serve de alerta ao Instituto de Criminalística e à DEMAFE (Delegacia Móvel de Atendimento a Futebol e Eventos). “O reconhecimento da inocência deles revela um falso-positivo exame de balística forense. Um sinal também para a delegacia especializada DEMAFE, que também andou muito mal nesse caso. Três vidas foram execradas, humilhadas, encarceradas, destruídas de suas honras, mas receberam do Tribunal do Juri e da Comarca da capital o reconhecimento da inocência”, afirmou

O CASO

Diego foi morto em 2012, em frente à sede da organizada paranista Fúria Independente, ele era integrante da bateria da torcida.

Ele estava com outros torcedores paranistas, que participavam de um churrasco com torcedores do Sport de Recife. Um carro passou pela rua e efetuou vários disparos contra os integrantes das torcidas. Os atiradores fugiram. Um dos tiros acertou Diego.

Fabio Marques, Gilson da Silva Teles e Juliano Rodrigues foram acusados de homicídio qualificado pela morte de Diego.

Segundo a Delegacia de Atendimento ao Futebol e Eventos (Demafe), o laudo do Instituto de Criminalística apontou que o disparo partiu de um revólver calibre 38 registrado em nome de Rodrigues. A defesa do acusado alega que a arma foi alvo de uma perícia suspeita um ano depois.

De acordo com o advogado, Claudio Dalledone, que defende os três réus, a acusação foi construída com base em falsas perícias.

Ana Cláudia Freire – Paraná Portal
Foto: Divulgação

Escreva um comentário