Agência Brasil e Redação Paraná Portal
Foto: Tânia Rêgo/Agência Brasil

Anvisa libera registro da vacina Oxford/Astrazeneca e de medicamento contra a covid-19

A Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) anunciou, nesta sexta-feira (12), o registro definitivo da vacina Oxford/AstraZeneca e do medicamento remdesivir contra a Covid-19.

ANVISA LIBERA REGISTRO DA ASTRAZENECA E MEDICAMENTO REMDESIVIR CONTRA A COVID-19

O imunizante da Oxford/AstraZeneca tinha apenas registro para uso emergencial, mas agora se tornou o segundo imunizante a obter o registro definitivo no Brasil. Portanto, a vacina pode ser utilizada de forma permanente em toda população brasileira.

De acordo com o gerente-geral de Medicamentos e Produtos Biológicos da Anvisa, Gustavo Mendes, “os benefícios superam os riscos”, já que ontem diversos países suspenderam o uso do imunizante para certificar os efeitos colaterais mais graves.

O antiviral remdesivir também foi anunciado como o primeiro medicamento para uso em pacientes hospitalizados com a Covid-19 pela Anvisa. Ele terá, em bula, a indicação de uso para tratamento do novo coronavírus.

O QUE A VACINA PRECISA PARA SER APROVADA?

Para ser aprovada, a vacina precisa passar por estágios de desenvolvimento. O estágio inicial é feio em laboratório, com análise do vírus e de moléculas para definição da melhor composição do produto, explica a Anvisa.

Depois, a vacina é testada em animais, que são expostos ao agente causador da doença. Na etapa de estudos clínicos com três fases, são feitos testes em humanos desde que se tenha dados preliminares de segurança e possível eficácia.

Para liberar o registro do imunizante, técnicos especializados da Anvisa revisam todos os documentos para validar a segurança da vacina.

Escreva um comentário