Autor

Redação

A navegação
Redação – Paraná Portal
Foto: Geraldo Bubniak/AEN

O governo estadual vai iniciar o envio das vacinas contra Covid-19 destinadas aos trabalhadores da Educação no Paraná nesta terça-feira (11). A distribuição acontece um dia após a volta das aulas em cerca de 200 colégios  da rede pública, realizada nesta segunda-feira (10).

São 32.760 doses, que seguem armazenadas no Cemepar (Centro de Medicamentos do Paraná) desde o último dia 3 de maio. São todas vacinas Covishield, produzidas pela universidade de Oxford, Astrazeneca e Fiocruz (Fundação Oswaldo Cruz).

O quantitativo fez parte da 16ª remessa encaminhada pelo Ministério da Saúde.

A indicação é que os municípios vacinem os trabalhadores da Educação por idade, iniciando pela faixa entre 55 e 59 anos. Nesse primeiro momento, apenas os da Educação Básica serão atendidos, dentro da estratégia casada com o retorno das aulas.

As doses representam 15,5% do grupo de trabalhadores da educação previsto pelo Plano Estadual de Vacinação contra a Covid-19, estimado em 210.897 pessoas. Neste número, estão contabilizados profissionais da rede pública estadual e municipal, da rede privada e da assistência social.

Além deste percentual, cerca de 8 mil trabalhadores (3,79% do total do grupo) já foram imunizados por terem idade acima de 60 anos, grupo prioritário já contemplado pela vacinação no Paraná.

VACINAS NO PARANÁ

De acordo com o Vacinômetro da Secretaria estadual de Saúde, foram aplicadas 1.935.530 primeiras doses e 1.056.083 doses de reforço, totalizando 2.991.613 vacinas até às 12h29 desta segunda-feira (10).

Atualmente, o Paraná avança na imunização de grávidas e puérperas, trabalhadores da segurança, salvamento e Forças Armadas, pessoas com comorbidades e pessoas com deficiência permanente.

Confira a quantidade que cada Regional de Saúde recebe nesta remessa:

  • 1ª RS – Paranaguá – 925 doses
  • 2ª RS – Metropolitana – 8.970 doses
  • 3ª RS – Ponta Grossa – 1.765 doses
  • 4ª RS – Irati – 480 doses
  • 5ª RS – Guarapuava – 1.445 doses
  • 6ª RS – União da Vitória – 575 doses
  • 7ª RS – Pato Branco – 970 doses
  • 8ª RS – Francisco Beltrão – 1.330 doses
  • 9ª RS – Foz do Iguaçu – 1.170 doses
  • 10ª RS – Cascavel – 1.720 doses
  • 11ª RS – Campo Mourão – 1.095 doses
  • 12ª RS – Umuarama – 870 doses
  • 13ª RS – Cianorte – 435 doses
  • 14ª RS – Paranavaí – 930 doses
  • 15ª RS – Maringá – 2.475 doses
  • 16ª RS – Apucarana – 1.115 doses
  • 17ª RS – Londrina – 2.495 doses
  • 18ª RS – Cornélio Procópio – 795 doses
  • 19ª RS – Jacarezinho – 985 doses
  • 20ª RS – Toledo – 1.275 doses
  • 21ª RS – Telêmaco Borba – 440 doses
  • 22ª RS – Ivaiporã – 500 doses

Com isso, totalizam as 32.760 doses de vacinas contra a Covid-19.

Redação – Paraná Portal
Foto: Jonathan Campos/AEN

O governador Ratinho Junior (PSD) esteve presente no aniversário de 74 anos de Maringá, cidade mais populosa da região Noroeste do Paraná, nesta segunda-feira (10). Durante a celebração, ele assinou dois convênios para obras de infraestrutura.

“Maringá é uma das mais importantes cidades do Paraná e um exemplo para o Brasil. Limpa, organizada e com um potencial econômico impressionante. Não à toa já foi reconhecida como a cidade com a melhor qualidade de vida do País. A liberação desses recursos são um presente para ajudar na melhoria da qualidade de vida de todos os paranaenses que moram no município”, destacou Ratinho Junior.

Um dos convênios autoriza o recapeamento de 128 ruas em 25 bairros diferentes, totalizando mais de 282 mil metros quadrados de requalificação asfáltica.

O outro prevê a construção de duas pontes em concreto, além de obras de encabeçamento e contenção, sobre o Rio Ribeirão Pinguim, no limite entre Maringá e Sarandi.

O investimento total por parte da Secretaria de Estado da Infraestrutura e Logística será de R$ 13.116.880,70, com contrapartida municipal de R$ 1,7 milhão.

“Maringá é um cartão de visitas do Estado. Se Maringá vai bem, o Paraná vai bem”, completou Ratinho Junior.

OBRAS EM MARINGÁ FAZEM PARTE DE PACOTE DO GOVERNO RATINHO JUNIOR

Os convênios formalizados agora encorpam um grande pacote de intervenções urbanas em Maringá coordenados pelo governo do Paraná. Ratinho Junior citou a duplicação na PR-323, principal ligação entre as regiões Norte e Noroeste do Paraná.

As obras de 6,3 quilômetros, entre Doutor Camargo e o Rio Ivaí, já estão em andamento, com investimento de R$ 38,3 milhões, fruto da parceria com o Banco Interamericano do Desenvolvimento (BID).

A obra complementa a recente liberação para o tráfego em um trecho de 9 quilômetros já duplicados na chegada a Doutor Camargo, parte de uma duplicação de 20,7 quilômetros. “A PR-323 não teve mais melhorias desde o século passado. Ter uma rodovia moderna trará inúmeros benefícios na atração de investimentos e no desenvolvimento regional”, afirmou o governador. “São mais de R$ 200 milhões em obras e investimentos na região da Grande Maringá”.

“É um trabalho comum entre prefeitura e Governo. E quem ganha com isso é a população e o Noroeste do Estado”, avaliou o prefeito de Maringá, Ulisses Maia.

Agência Brasil
Foto: Marcello Casal Jr/Agência Brasil

O mercado financeiro manteve a mesma projeção da semana passada para a taxa básica de juros, a Selic.

Segundo o boletim Focus desta segunda-feira (10), pesquisa divulgada semanalmente pelo Banco Central (BC), com a projeção para os principais indicadores econômicos, a Selic deve terminar o ano de 2021 em 5,50%.  

Na semana passada, o Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central (BC) decidiu elevar a taxa em 0,75%, passando para 3,50% ao ano, conforme sinalizado pela diretoria do BC, em abril.

Para o fim de 2022, a estimativa é de que a taxa básica suba para 6,25% ao ano. E para o fim de 2023 e 2024, a previsão é de 6,5% ao ano.

O BC usa a Selic como principal instrumento para controlar a inflação. Quando o Copom aumenta a taxa básica de juros, há reflexos nos preços porque os juros mais altos encarecem o crédito e estimulam a poupança, desaquecendo a economia.

INFLAÇÃO

A previsão do mercado financeiro para o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA – a inflação oficial do país) deste ano subiu mais uma vez. Passou de 5,04% para 5,06%. Foi o quinto aumento consecutivo na projeção.

Para 2022, a estimativa de inflação subiu de 3,6% para 3,61%. Tanto para 2023 como para 2024 a previsão para o índice é de 3,25%.

A projeção para 2021 está próxima do limite da meta de inflação que deve ser perseguida pelo Banco Central. O centro da meta, definida pelo Conselho Monetário Nacional, é de 3,75% para este ano, com intervalo de tolerância de 1,5 ponto percentual para cima ou para baixo. Ou seja, o limite inferior é de 2,25% e o superior de 5,25%.

PIB E CÂMBIO

As instituições financeiras consultadas pelo BC elevaram a projeção para o crescimento da economia brasileira este ano de 3,14% para 3,21%. Para o próximo ano, a expectativa para o Produto Interno Bruto (PIB) – a soma de todos os bens e serviços produzidos no país – passou de 2,31% para 2,33%. Em 2023 e 2024, o mercado financeiro projeta expansão do PIB em 2,5%.

A expectativa para a cotação do dólar passou de R$ 5,40 ao final deste ano para R$ 5,35. Para o fim de 2022, a previsão é de que a moeda americana fique em R$ 5,40. Em 2023 e 2024, a previsão é de que o dólar custe R$ 5,20 e R$ 5,10, respectivamente.

Redação – Paraná Portal
Foto: Edson Vidal/TV Band Curitiba

Na madrugada desta segunda-feira (10), uma pessoa morreu e três ficaram feridas após um acidente no Contorno Sul de Curitiba.

De acordo com a PRF (Polícia Rodoviária Federal), o motorista perdeu o controle da direção em uma curva e, em seguida, capotou.

Um passageiro, de aproximadamente 30 anos, foi ejetado do veículo e morreu na hora. Duas pessoas foram socorridas com ferimentos graves e uma leve. Todas foram encaminhadas para hospitais da Capital.

O corpo da vítima fatal do acidente no Contorno Sul de Curitiba foi encaminhado ao IML (Instituto Médico Legal) e não foi identificado oficialmente até o fechamento da matéria.

CBN Curitiba
Foto: Geraldo Bubniak/AGB

Uma frente fria aproxima-se do Rio Grande do Sul neste início de semana, mas não influencia o tempo no Paraná.

De acordo com o Simepar, teremos um dia com pouca chuva no Estado. Apenas no litoral há condições para alguma garoa ocasional, em função dos ventos que transportam umidade do oceano.

Nos demais setores previsão de tempo estável. O dia amanheceu com temperaturas amenas e à tarde esquenta bastante, especialmente no Oeste, Noroeste e no Norte Pioneiro, como explica o meteorologista Fernando Mendes.

“Valores próximos aos 30ºC ao noroeste, já no setor da faixa oeste até 28ºC e Cascavel e Campo Mourão até 27ºC. Enquanto no Sul os valores máximos variam de 23ºC a 25ºC. Região de Ponta Grossa até 24ºC e região de Curitiba a máxima é de 22ºC.”

Em Curitiba, a segunda-feira deve ser de céu encoberto e temperaturas amenas. Logo cedo a mínima foi de 13ºC.

Redação – Paraná Portal
Foto: Isabella Mayer/SMCS

A prefeitura de Curitiba divulgou que a Campanha de Vacinação contra a Gripe entra na terceira fase a partir desta segunda-feira (10), com imunização dos idosos. O calendário é feito de acordo com a idade para garantir que o intervalo necessário das doses da vacina contra Covid-19 para esta população seja respeitado.

Com isso, os primeiros vacinados são os idosos de 85 anos completos. Na terça-feira (11/5), recebem os imunizantes as pessoas com 84 anos completos; na quarta (12/5) os de 83 anos completos; na quinta (13/5) os de 82 anos completos; e, por fim, na sexta (14/05) os de 81 anos completos.

Deste modo, os idosos do grupo de 85 a 81 poderão fazer a imunização contra a gripe nesta próxima semana e, depois de 14 dias, receber a segunda dose da vacina anticovid Astrazeneca, que tem um intervalo de 90 dias entre as suas doses.

Já o grupo com 86 anos ou mais será contemplado apenas nos próximos cronogramas, uma vez que foram imunizados contra covid com a vacina Coronavac, que tem outro intervalo entre as suas doses.

“Essa é mais uma medida de segurança no nosso protocolo para evitar que qualquer chance de erro e troca de vacina no momento da aplicação”, explica a secretária municipal da Saúde de Curitiba, Márcia Huçulak.

Para os idosos com 80 anos ou menos, a orientação é aguardar divulgação do cronograma com as próximas datas para cada faixa etária.

ONDE VACINAR

A vacinação contra a gripe está sendo realizada nas unidades básicas e nas unidades de multivacinação, das 8h às 17h. Para verificar as unidades abertas confira este link. A Secretaria Municipal da Saúde reforça que as unidades de saúde que estão fazendo vacinação anticovid não realizam vacinação contra a gripe.

O cronograma da Secretaria Municipal da Saúde de Curitiba foi idealizado de modo a garantir o intervalo de 14 dias de aplicação entre as vacinas anticovid e contra a gripe, conforme orientação do Ministério da Saúde.

CALENDÁRIO DA VACINAÇÃO CONTRA A GRIPE EM CURITIBA

  • Segunda-feira (10/5): 85 anos completos;
  • Terça-feira (11/5): 84 anos completos;
  • Quarta-feira (12/5): 83 anos completos;
  • Quinta-feira (13/5): 82 anos completos;
  • Sexta-feira (14/5): 81 anos completos.

Locais de vacinação

Unidades básicas e nas unidades de multivacinação, das 8h às 17h.

Para verificar as unidades abertas, confira este link (as unidades para vacinação anticovid não realizam vacinação contra a gripe).

Jorge de Sousa- Paraná Portal
Foto: Geraldo Bubniak/AEN

Curitiba registrou nas últimas 24 horas, novos 721 casos e 28 óbitos pela Covid-19, segundo boletim divulgado pela Secretaria Municipal da Saúde neste sábado (8).

Desde o início da pandemia, 196.392 pessoas foram contaminadas e 4.883 óbitos foram registrados em decorrência da doença na capital paranaense.

As últimas vítimas fatais são 18 homens e dez mulheres, com idades entre 39 e 90 anos, sendo que 15 dessas vítimas tinham menos de 60 anos.

Já os casos ativos da Covid-19 registraram nova alta e chegaram a marca de 6.989. Todas essas pessoas são aquelas que ainda podem transmitir a doença.

Os hospitais de Curitiba permaneceram com o mesmo índice de lotação dos leitos de UTI, com 92% dos espaços ocupados por pacientes com quadros graves da Covid-19.

Atualmente a Secretaria Municipal da Saúde disponibilizam 525 leitos de UTI exclusivos para a Covid-19, sendo que 42 estão desocupados neste sábado.

Após o mês de julho, Curitiba passou os meses de agosto, setembro e outubro com os leitos de UTI abaixo da casa dos 80% de ocupação. Mas em novembro o índice voltou a subir e se aproximar do limite até a metade de janeiro, com a situação se mantendo estável até o fim do mês e voltando a beirar o topo desde fevereiro, chegando a colapsar por quase 20 dias entre os meses de março e abril.

Redação – Paraná Portal
Foto:  Ari Dias/AEN

A Sesa (Secretaria da Saúde do Paraná) recebeu neste sábado (8) mais 57.800 doses da vacina coronavac contra a covid-19. As vacinas são produzidas em parceria pela farmacêutica chinesa Sinovac e o Instituto Butantan, de São Paulo. As informações são da Agência Estadual de Notícias.

As vacinas chegaram ao Aeroporto Internacional Afonso Pena, em São José dos Pinhais, na Região Metropolitana de Curitiba, pouco depois das10 h. De lá, foram encaminhadas para o Centro de Medicamentos do Paraná (Cemepar) para verificação, separação e armazenamento, parte do processo de distribuição para as 22 Regionais de Saúde do Estado.

Segundo a Sesa, essa remessa se soma às 242 mil doses da vacina Covishield, da parceria AstraZeneca/Oxford, entregues na quinta-feira (6), e às 67.774 doses do imunizante Pfizer/Comirnaty/BioNtech. O lote total, composto por 367.574, será usado para doses de reforço e início da vacinação em grupos prioritários novos, como gestantes, puérperas, pessoas com comorbidades e pessoas com deficiência permanente. O conjunto de vacinas começa a ser encaminhado no início da semana para os municípios.

AS DOSES DA CORONAVAC

O lote deste sábado (8) é formado por 15.919 doses para pessoas de 60 a 64 anos, 2.747 para forças de segurança e salvamento (inclusive Forças Armadas) e 33.377 para ajustar a imunização em segunda dose no público prioritário já vacinado com a primeira, como trabalhadores de saúde e idosos, dependendo da necessidade dos municípios. A diferença para o quantitativo total é a reserva técnica. A remessa nacional é composta por 999.900 doses.

O Paraná já recebeu e distribuiu mais de 3,6 milhões de doses. Segundo o Vacinômetro da secretaria estadual da Saúde, pouco mais de 1,9 milhão de paranaenses já receberam a primeira dose e 1,050 milhão completaram a imunização com as duas doses. Mais de 85% do que foi distribuído foi aplicado.

O Estado começou a vacinar 16 grupos prioritários: indígenas; idosos em Instituições de Longa Permanência; pessoas com deficiência institucionalizadas; trabalhadores da saúde; trabalhadores da segurança pública; forças de salvamento; Forças Armadas; quilombolas; sete faixas etárias entre a população idosa, dos 60 a 64 aos mais de 90 anos; pessoas com comorbidades; e pessoas com deficiência permanente.

Redação – Paraná Portal
Foto: Arquivo/Arnaldo Alves/ANPr

A FETRANSPAR (Federação das Empresas de Transportes de Cargas do Estado do Paraná) alerta para a manobra da ANTT (Agência Nacional de Transporte Terrestre) que pode cobrar um pedágio mais caro dos usuários de rodovias para compensar o prejuízo das concessionárias no período da pandemia do coronavírus.

A ANTT realizou uma audiência pública nesta quinta-feira (6) para coletar sugestões e contribuições para a elaboração da metodologia para o cálculos dos impactos causados pelas medidas de restrição no o âmbito dos contratos de concessão de infraestrutura rodoviária.

A possibilidade de aumentar o pedágio para diluir os custos das concessionárias não agradou o setor produtivo.

“Todos os setores tiveram e ainda estão tendo prejuízos com a pandemia. Por que o pedágio quer dividir com a sociedade o seu eventual desequilíbrio? Por acaso quando ocorreu faturamento acima em anos anteriores, foram chamadas audiências públicas para redução de tarifa?”, indagou o presidente da FETRANSPAR e do Sest Senat no Paraná, Coronel Sérgio Malucelli.

Segundo ele, as concessionárias precisam assumir o risco da operação. Afinal, qualquer atividade comercial, industrial ou de serviço está sujeita às volatilidades do mercado.

“Os contratos assinados são de risco e as empresas sabem disso. Além do mais, a pandemia não foi só prejudicial a setor A ou B. Toda a economia sofreu. Não podemos absorver prejuízos eventuais oriundos das empresas de pedágio”, disse.

Ainda em abril, a FETRANSPAR já havia manifestado preocupação com a discussão aberta pela ANTT, uma vez que o setor de transporte de cargas também vem sofrendo as consequências da pandemia, assim como todos os outros setores da Economia.

“É hora das concessionárias que administram estradas, também assumirem o papel de empresas, não entendendo o negócio somente como mera exploração de rodovias, mas sim como um sistema que faz parte da economia. E para que elas possam ter seus negócios saudáveis, é necessário que outros setores também estejam saudáveis”, disse o presidente da FETRANSPAR, ainda no mês passado quando o assunto começou a ser discutido.

Na visão do representante do setor de transportes de cargas do Paraná, com concessionárias devem buscar outras formas para ajustar suas eventuais perdas.

“O Governo Federal já divulgou pacotes de auxílio para o setor privado. É dessas decisões que as empresas devem buscar apoio e não repassar seus prejuízos aos usuários, até porque não se trata de algo pontual em suas estradas. Vivemos uma pandemia. Todos, empresas e cidadão estão sendo impactados por este vírus”, finaliza Malucelli.

Sugestão sobre o tema serão recebidas pela ANTT até o próximo dia 21 de maio.

Redação – Paraná Portal
Foto: Arquivo/Andréa Rêgo Barros/PCR

O Paraná confirmou 152 mortes e 6.084 casos novos de covid-19. O boletim do coronavírus foi atualizado nesta sexta-feira (7) pela Sesa (Secretaria de Estado da Saúde).

Conforme a secretaria estadual, o Paraná agora acumula 71.270 casos confirmados e 23.477 mortes por complicações da doença.

De acordo com a secretaria estadual, o Paraná tem 2.339 pacientes com Covid-19 internados em hospitais da rede pública ou privada. Destes, 1.209 ocupam leitos de UTI, enquanto 1.130 realizam o tratamento em vagas de enfermaria.

Além disso, outros 2.427 pacientes com quadros respiratórios seguem internados. Eles são considerados casos suspeitos porque não fizeram ou ainda aguardam o resultado dos exames para coronavírus.

A taxa de ocupação dos leitos de UTI do SUS exclusivos para Covid-19 é de 93%. O indicador é superior a 90% em todas as regiões: leste (94%), oeste (92%), noroeste (95%) e norte (92%).

O Paraná chega aos 971.270 diagnósticos positivos de Covid-19 com uma taxa de letalidade de 2%.

De acordo com a Sesa, 691.091 pacientes foram liberados do tratamento e são considerados recuperados. O número representa 71% do total de infectados.

VACINA

Desde o início da campanha de vacinação até esta sexta-feira (7) o Paraná vacinou 1.917.810 cidadãos. Ao todo, 2.967.359 doses foram aplicadas, das quais 1.049.549 se referem à dose de reforço.

Até agora, o Estado recebeu do Ministério da Saúde um total de 4.058.660 de doses, somados os imunizantes CoronaVac e AstraZenca/Oxford.

COVID-19: NOVAS MORTES

boletim do coronavírus atualizado nesta sexta-feira (7) pela Sesa (Secretaria de Estado da Saúde) incluiu 152 mortes aos registros oficiais da Covid-19 no Paraná. As vítimas eram 85 homens e 67 mulheres, com idades entre 19 e 00 anos. Os óbitos ocorreram entre junho de 2020 e abril de 2021.

Os óbitos incluídos hoje no boletim da Sesa aconteceram em Curitiba (19), Apucarana (15), Foz do Iguaçu (6), União da Vitória (6), Fazenda Rio Grande (5), Maringá (5), Umuarama (5), Paranaguá (4), Antonina (3), Araucária (3), Bandeirantes (3), Guarapuava (3), Ibaiti (3), Jaguariaiva (3), Laranjeiras do Sul (3), Pinhais (3), Reserva (3), Alto Piquiri (2), Campo Largo (2), Carambeí (2), Castro (2), Ibiporã (2), Irati (2), Londrina (2), Mandaguari (2), Paiçandu (2), Palmeira (2), Pato Branco (2), Ponta Grossa (2), Salgado Filho (2), São Jose dos Pinhais (2), Telêmaco Borba (2) e Toledo (2).

Além disso, a secretaria estadual registrou a morte de uma pessoa que morava em cada um dos seguintes municípios: Agudos do Sul, Andirá, Bela Vista do Paraiso, Bocaiuva do Sul, Campina Grande do Sul, Campo Mourão, Cascavel, Cornélio Procópio, Cruzeiro do Oeste, Guamiranga, Guaraniaçu, Imbaú, Imbituva, Ipiranga, Itaguaje, Jacarezinho, Lobato, Lupionópolis, Nova Esperança, Pinhalão, Quatiguá, Rebouças, Ribeirão do Pinhal, Salto do Lontra, Santa Terezinha de Itaipu, São João do Triunfo, Sarandi e Terra Boa.