Autor

Redação

A navegação
Mapa
Foto: Freepik/Wirestock

Entre janeiro e junho de 2021, o valor de indenizações no seguro rural totalizou R$ 1,7 bilhão, de acordo com os dados da Superintendência de Seguros Privados (Susep). No acumulado dos últimos 10 anos, em valores atualizados, o montante total indenizado pelas seguradoras foi de R$ 15,2 bilhões.

Para Guilherme Bastos, Secretário de Política Agrícola do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (SPA-Mapa), o volume elevado de indenizações pagas aos produtores demonstra que o seguro rural é um dos instrumentos mais importantes que o produtor possui à sua disposição para mitigar determinados riscos da atividade agropecuária. “O produtor rural precisa incorporar o seguro no seu custo de produção, deve ser um item permanente em todas as safras, o custo benefício da contratação é vantajoso, ainda mais se considerarmos o auxílio financeiro do governo federal na aquisição da apólice”.

O montante pago em 2021 é um pouco inferior ao registrado no mesmo período do ano anterior, que foi de R$ 1,8 bilhão. Em 2020, o valor total pago pelas seguradoras aos produtores rurais que contrataram seguro rural fechou em R$ 2,5 bilhões. Já

Ao contratar uma apólice de seguro rural, o produtor pode minimizar suas perdas em caso de quebra de safra, ao recuperar o capital investido na sua lavoura. O Programa de Subvenção ao Prêmio do Seguro Rural (PSR) oferece ao produtor a oportunidade de segurar sua produção com custo reduzido, por meio de auxílio financeiro do governo federal. Atualmente o percentual de subvenção ao prêmio pode variar entre 20% e 40% do valor da apólice, a depender da atividade e cobertura contratada.

Guilherme Bastos ressalta que o produtor rural precisa incorporar a cultura do seguro, como já acontece em outros países. “O seguro rural é uma proteção indispensável para a produção agropecuária, ajuda a manter a capacidade financeira do produtor em caso de perdas e evita a necessidade de renegociar o custeio da safra. Nas últimas safras ocorreram diversos eventos climáticos severos em algumas regiões do país, aquele produtor que tinha contratado o seguro não teve tanta preocupação, já os demais que não contrataram podem estar com dificuldades de financiamento”.

Atualização dos dados de indenizações do seguro rural

O Mapa atualizou os dados de indenizações pagas pelas seguradoras aos produtores no ano de 2020, no âmbito do PSR. Diferentemente dos dados da Susep, que contemplam todas as operações do mercado de seguros e contabilizam todos os valores pagos em 2020, independente do ano de contratação da operação, os dados divulgados do PSR consideram apenas as apólices contratadas com subvenção naquele ano, independente de quando as indenizações foram pagas.

No total foram pagos R$ 1,1 bilhão em indenizações pelas seguradoras aos produtores que contrataram apólices em 2020 com apoio do PSR, as indenizações foram pagas aos produtores de todas as regiões do país. Os três estados com mais indenizações foram Paraná (R$ 286,5 milhões), Rio Grande do Sul (R$ 268,4 milhões) e São Paulo (R$ 147,9 milhões).

Em seguida temos Goiás com R$ 95,9 milhões, Mato Grosso com R$ 95,2 milhões, Santa Catarina com R$ 93,3 milhões e Mato Grosso do Sul com R$ 66 milhões.

O principal evento climático que causou as perdas foi a seca, responsável por R$ 684 milhões em indenizações, pouco mais de 60% do total indenizado. Depois da seca, temos o granizo que ocasionou 15,7% das indenizações, além da chuva excessiva (9,6%) e da geada (9,3%). Os dados completos de sinistros do PSR podem ser consultados no site do Mapa.

Contratação deve ser feita com corretor ou instituição financeira

O produtor que tiver interesse em contratar o seguro rural deve procurar um corretor ou uma instituição financeira que comercialize apólice de seguro rural. Atualmente, 15 seguradoras estão habilitadas para operar no PSR. A subvenção econômica concedida pelo governo federal pode ser pleiteada por qualquer pessoa física ou jurídica que cultive ou produza espécies contempladas pelo Programa e que não tenha restrição financeira com a União.

Em 2021, serão disponibilizados aos produtores R$ 924 milhões para subvencionar a contratação de apólices de seguro rural. Desse total, aproximadamente R$ 800 milhões já foram utilizados, o restante deve ser consumido até o final do mês de setembro. Ao contrário dos anos anteriores, quando os recursos do PSR eram disponibilizados mensalmente, o que ocasionava muito atraso na confirmação do acesso do produtor ao Programa, este ano o orçamento foi disponibilizado de uma única vez, possibilitando mais celeridade no processo. “Com esse modelo ganhamos muita agilidade, antes o produtor ficava em uma fila e poderia demorar meses para saber se foi contemplado ou não com a subvenção, agora no mesmo dia que ele faz a contratação da apólice junto ao corretor ou instituição financeira, já pode ter a resposta sobre o acesso ao PSR”, explicou Guilherme Bastos.

Para o produtor rural verificar se sua apólice foi contemplada no programa basta acessar o site do Ministério.

Redação – Paraná Portal
Foto: Fábio Dias/PCPR

A PCPR (Polícia Civil do Paraná) prendeu quatro pessoas envolvidas em um grupo criminoso especializado em roubos de correntes de ouro no centro de Curitiba. As capturas aconteceram nesta segunda-feira (23), no mesmo bairro dos crimes.

Durante as investigações, a polícia identificou a função de cada indivíduo do grupo. A primeira sinalizava aos demais sobre a vítima, o outro era o olheiro para informar se havia policiais próximos à vítima, um terceiro que executava o roubo e, posteriormente, o quarto que prestava um falso atendimento despistando o repasse da corrente.

A prática ocorria enquanto a vítima estava andando em ruas do centro de Curitiba. Na ocasião, após a comunicação entre os indivíduos, o suspeito da execução passava com uma bicicleta e puxava a corrente do pescoço da vítima.

Redação – Paraná Portal
Foto: Marcello Casal Jr./Agência Brasil

Desde janeiro de 2021, o seguro DPVAT é pago para vítima de acidentes pela Caixa Econômica Federal e pode ser requisitado por meio de um aplicativo ou em qualquer uma das 4,2 mil agências do país.

O alerta sobre o pedido do seguro tem uma razão: é cada vez maior o número de pessoas reclamando que não conseguem receber por meio do aplicativo DPVAT-Caixa, segundo o CDVT (Centro de Defesa das Vítimas de Trânsito).

No caso de seguros como esse, prevenir problemas tem a ver com conhecer o assunto, antes de precisar dele, orienta Luis Henrique Kuminek, diretor da Luto Curitiba, ao explicar que o recurso cobre indenizações em casos de morte e também de invalidez, cobrindo inclusive despesas médicas decorrentes de acidentes de trânsito. Em caso de morte o pagamento é de R$ 13,5 mil.

Quem estiver enfrentando dificuldades para garantir o direito, deve acionar as ouvidorias da Seguradora Líder (para acidentes até 2020) e da Caixa Econômica Federal (para casos a partir de 2021).

Já os usuários que tenham reclamações sobre os atendimentos relacionados ao seguro DPVAT podem recorrer ao consumidor.gov.br, plataforma oficial do governo federal para solução de conflitos, que a Susep integra desde 1º de janeiro de 2021.

O QUE VOCÊ PRECISA SABER SOBRE O SEGURO DPVAT? 

QUEM RECEBE?

  • Pessoas que estavam no veículo envolvido no acidente e se machucaram;
  • Pessoas que foram atropeladas;
  • Dependentes de pessoas mortas em atropelamentos ou acidentes de trânsito;

O QUE COBRE?

  • Morte;
  • Invalidez permanente;
  • Despesas médicas;

COMO SOLITICAR SEGURO DPVAT PELA CAIXA?

Para acidentes ocorridos a partir de janeiro de 2021, é preciso usar o aplicativo DPVAT Caixa. Após registrar o pedido, há a opção “Acompanhar Minha Solicitação”. Se não conseguir realizá-lo pelo celular, o pedido pode ser feito pessoalmente em uma agência da Caixa, com preenchimento do Formulário de Solicitação DPVAT e a entrega dos documentos.

E DE ACIDENTES QUE OCORRERAM ATÉ 2020?

Para acidente ocorridos até 31 de dezembro de 2020, é preciso acionar a Seguradora Líder. Ainda podem pedir o DPVAT para a Líder as pessoas que se envolveram em acidentes até dezembro de 2020. Nesses casos, o pedido pode ser feito em corretoras e seguradoras autorizadas ou pelos Correios.

QUAL O PRAZO PARA ACIONAR O SEGURO?

O pedido do DPVAT pode ser feito até três anos após a morte por conta do acidente, até três anos após o laudo que comprova a invalidez e até três anos após as despesas médicas.

VALORES DO SEGURO:

Para morte: R$ 13.500;

Para invalidez permanente: de R$ 135 a R$ 13.500;

Despesas médicas: até R$ 2.700;

Redação – Paraná Portal
Foto: Arnaldo Alves/AEN

A mulher tem buscado sua representatividade na política e aos poucos vem ganhando seu espaço. Não é à toa que, em 2020, elas bateram o recorde de candidaturas femininas no Brasil.

No Paraná, não foi diferente. Isso pode ser demonstrado por meio dos números de mulheres eleitas nas prefeituras.  Um aumento de 17,95% em relação à eleição de 2016, passando de 29 para 39 municípios.

Com o objetivo de fortalecer, integrar e aumentar ainda mais a representatividade das mulheres, a AMP (Associação dos Municípios do Paraná) irá realizar o 1º Encontro das Prefeitas do Paraná, nos dias 24 e 25 de agosto, em Curitiba, reunindo as prefeitas paranaenses em torno de temas relevantes no contexto da gestão pública e da participação mais ativa das mulheres unidas na política.

A ideia é somar forças a este forte movimento que vem incentivando uma participação mais efetiva das mulheres na política, seja por iniciativa dos governos, partidos políticos, associações e movimentos independentes.

Para debater temas relevantes para as prefeitas, valorizando a participação das mulheres na política e nas gestões municipais, mesmo em meio à pandemia da Covid-19, foram convidadas a ministra da Mulher, Família e Direitos Humanos, Damares Alves, que terá participação virtual no evento; a primeira-dama do Paraná, Luciana Saito Massa; a fundadora do Movimento Mulheres Municipalistas (MMM); Tania Ziulkoski; a presidenta do Conselho da Mulher da AMP e prefeita de Pérola, Valdete Carlos Oliveira Gonçalves da Cunha; e Roberta Cristina Eugênio dos Santos Silva, co-diretora do Instituto Alziras.

Além do presidente da AMP e prefeito de Jesuítas, Júnior Weiller, o evento terá as presenças especiais das seguintes autoridades: governador do Paraná, Carlos Massa Ratinho Júnior; vice-governador do Paraná, Darci Piana; chefe da Casa Civil do Governo do Paraná, Guto Silva; e secretário Estadual de Administração e Previdência, deputado estadual Marcel Micheletto.

“Queremos ter uma presença feminina maior nas disputas eleitorais, não apenas para prefeitas, mas também para outros cargos do executivo e do legislativo – vereadoras, deputadas estaduais, deputadas federais, senadoras, governadores e presidenta da república”, destaca o presidente da AMP, Júnior Weiller, daí a importância da realização de encontros como estes.

ENCONTRO DAS PREFEITAS DO PARANÁ

O 1º Encontro das Prefeitas do Paraná tem o objetivo de valorizar as mulheres prefeitas e, também, das suas gestões à frente dos municípios, o que vem sendo feito por elas com muita competência.

“A finalidade é integrar e fortalecer as prefeitas, criando um ambiente para a interação entre elas, e propiciar a troca de experiências e o aprendizado com as palestrantes que participarão do encontro”.

A fundadora do MMM (Movimento Mulheres Municipalistas), Tania Ziulkoski comenta que apesar de ter crescido o número de mulheres eleitas em 2020, o processo ainda é lento no Brasil.

“Nossos países vizinhos já conquistaram avanços como a paridade de gênero na política, enquanto nós somos a lanterninha quando o assunto é participação política feminina”.

Ela ainda acrescenta que atualmente as prefeitas ocupam 12,5% dos assentos no executivo municipal e as vereadoras 15,99% do legislativo, ambos os maiores percentuais de mulheres nesses cargos na história do país.

Segundo ela, por ainda serem poucas mulheres na política local, muitas vezes as gestoras se sentem sozinhas e tendem a acreditar que os desafios enfrentados são exclusivos.

O 1º Encontro das Prefeitas do Paraná conta com realização da Associação dos Municípios do Paraná (AMP) e com patrocínio do Sicoob Central Unicoob (Sicoob/Unicoob), Copel (Companhia Paranaense de Energia) e BRDE (Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul).

Redação – Paraná Portal
Foto: Pedro Ribas/SMCS

Covid: Pfizer deve entregar mais 5 milhões de doses ao Brasil nesta semana

A Pfizer Brasil divulgou hoje (23) que mais 5,3 milhões de doses devem ser chegar ao Brasil até o próximo domingo (29). Conforme a previsão da empresa, cinco voos partirão de Miami, nos Estados Unidos, para o Aeroporto Internacional de Viracopos, em Campinas, no transporte das vacinas contra covid-19.

Com isso, o país terá recebido 53.325.090 doses.

Veja a quantidade de vacinas contra covid entregues pela Pfizer ao governo brasileiro.

(Divulgação/Pfizer Brasil)

VACINAÇÃO NO BRASIL

O levantamento do consórcio feito pelos veículos de imprensa, formado por UOL, Folha de S. Paulo, Estadão, Extra, O Globo e G1, aponta

Conforme os dados, Mato Grosso do Sul (40,72%), São Paulo (32,45%), Rio Grande do Sul (31,94%), Espírito Santo (28,35%) e Santa Catarina (26,67%) são os estados com maior porcentagem da população imunizada.

Já São Paulo (71,05%), Mato Grosso do Sul (62,87%), Rio Grande do Sul (62,87%), Santa Catarina (60,63%) e Paraná (59,99%) lideram a lista dos estados que mais aplicaram primeiras doses.

58% da população do Brasil já recebeu a primeira dose – foram 122.830.226 aplicações até ontem (22). Já os imunizados correspondem a 26,01%, com 55.068.521 pessoas.

Tarobá News
Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil

Uma servidora que furou a fila da vacinação contra a covid-19 no início do ano foi demitida pela Prefeitura de Cascavel.

Ela é enfermeira, mas estava lotada na Secretaria Municipal de Cultura e Esporte. A demissão foi publicada pelo município no órgão oficial de sábado (21).

Ao ter conhecimento do caso o prefeito de Cascavel, Leonaldo Paranhos, já havia determinado a demissão da servidora, porém poucos dias depois anulou o documento oficial com esse pedido.

Um Processo de Administração Disciplinar foi instaurado e resultou com a demissão da enfermeira.

Conforme a publicação do munícipio neste fim de semana, houve descumprimento de deveres previstos na lei de regimento dos servidores públicos de Cascavel, como conduta escandalosa e insubordinação grave.

CBN Curitiba e Redação Paraná Portal
Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil

O caminhão-agência da Caixa estará a partir desta segunda-feira (23) em Curitiba para disponibilizar condições especiais para liquidação de dívidas em atraso de contratos comerciais.

A unidade móvel ficará na Praça Santos Andrade, no Centro da cidade, até a próxima sexta-feira (27), das 8h às 13h.

Os descontos para quitação de contratos comerciais podem chegar até a 90% do valor da dívida. Ainda conforme a instituição bancária, as condições especiais, para pessoas físicas e jurídicas, variam conforme o perfil do crédito contratado e atraso.

Na agência itinerante, ainda conforme a Caixa, os clientes terão à disposição todo o atendimento necessário para o pagamento ou regularização de suas dívidas.

Outros canais de atendimento:

Além do Caminhão, os clientes também podem negociar suas dívidas sem sair de casa por meio dos sites www.caixa.gov.br/negociar e www.negociardividas.caixa.gov.br; pelo telefone 4004 0104 (capitais) / 0800 104 0104 (demais regiões), opção 5; e WhatsApp, pelo número 0800 104 0104, opção 3. As condições também estão disponíveis no Twitter (twitter.com/caixa) e pelo Messenger do Facebook (facebook.com/caixa).

Os clientes também encontram as condições especiais da campanha nas unidades lotéricas para quitação de valores até R$ 2 mil, informando o CPF e intenção de pagamento da dívida Você no Azul.

Redação – Paraná Portal
Foto: Divulgação/Força Aérea Brasileira

Brasil envia ajuda humanitária ao Haiti após terremoto

Neste domingo (22), o avião de transporte KC-390 Millennium, da Força Aérea Brasileira (FAB), decolou levando ajuda humanitária para Porto Príncipe, capital do Haiti. A iniciativa é um esforço do Governo Federal, por meio dos Ministérios da Justiça e Segurança Pública (MJSP), Defesa (MD), Relações Exteriores (MRE), Saúde (MS) e Desenvolvimento Regional (MDR), em decorrência do terremoto de magnitude 7.2 que atingiu o país no sábado (14), que resultou em mais de 2 mil mortos e 10 mil feridos.

O voo saiu de Brasília às 8h (horário de Brasília), com parada para abastecimento em Cachimbo, no Pará, e em Boa Vista, Roraima. A previsão de desembarque na capital haitiana é às 19h25 (horário de Brasília).

A aeronave segue transportando um representante do MDR, 32 bombeiros militares e cerca de sete toneladas de materiais e equipamentos de emergência, do Corpo de Bombeiros do DF, de Minas Gerais e também da Força Nacional de Segurança Pública (FNSP).

https://platform.twitter.com/widgets.js

Além desses, mais 3,5 toneladas de medicamentos e insumos estratégicos do MS, que incluem cinco kits de 250 kg cada. Planejado para situações de desastres, o material visa atender até dez mil pessoas por unidade. Entre os insumos também estão presentes materiais de uso hospitalar disponibilizados pela Força Nacional do SUS, como macas, colares cervicais, biombos e outros. A assistência farmacêutica do Ministério disponibilizou, ainda, insulina humana tipo regular, medicamento que tem ação rápida em casos de choque, ocasionado pela diminuição anormal do volume do sangue.

Arte: Divulgação/Ministério da Defesa

O retorno da aeronave ao Brasil está previsto para segunda-feira (23), com parada em Boa Vista e chegada em Brasília às 08h20.

Apoio humanitário

Em 2020, o Brasil apoiou o Líbano com seis toneladas de materiais de saúde e alimentos, após explosão que destruiu o Porto de Beirute. Dois aviões da Força Aérea Brasileira (FAB), um KC-390 Millennium e um Embraer-190 (VC-2), seguiram para o país, em operação interministerial que contou com as pastas da Defesa, das Relações Exteriores e da Saúde.

Em 2010, as Forças Armadas também levaram ajuda humanitária em razão do terremoto que devastou a capital haitiana. Um voo da FAB seguiu para Porto Príncipe com quatro toneladas de medicamentos, luvas, pastilhas de purificação de água e outros materiais de prevenção à cólera e atendimento a enfermos.

Além disso, durante 13 anos, de 2004 a 2017, o Brasil apoiou a Missão das Nações Unidas para a Estabilização no Haiti (MINUSTAH), junto com outras nações amigas. Na ocasião, as tropas brasileiras contribuíram para a manutenção do ambiente seguro e estável naquele país e cooperaram com as atividades de assistência humanitária e de fortalecimento das instituições nacionais.

Redação – Paraná Portal
Foto: Mayara Santos/Arquivo pessoal

Um incêndio destruiu seis casas no bairro Caximba, em Curitiba, na noite desta sexta-feira (20). Três famílias ficaram desalojadas e foram acolhidas por equipes da prefeitura.

As residências eram de madeira, o que pode ser contribuído para as chamas rapidamente se espalharem. Segundo a Defesa Civil de Curitiba, o incêndio teve início por volta das 19h30 na Vila Abraão.

O prefeito Rafael Greca postou imagens do incêndio em suas redes sociais. Além de destacar o trabalho das equipes do Corpo de Bombeiros, Guarda Municipal e Fundação de Ação Social, envolvidas no atendimento, Greca disse que a região passará por uma intervenção, por meio de um projeto socioambiental.

Ao todo, sete pessoas ficaram desalojadas, sendo uma família composta por três adultos, outra com dois adultos e uma criança e a outra com um adulto.

Segundo a prefeitura, todos foram atendidos pela equipe Regional da Defesa Civil do Tatuquara e por equipes da FAS, que providenciaram colchões e cobertores. As famílias ficaram alojadas em casas de parentes e amigos.

O incêndio foi controlado por volta das 23h30, de acordo com o Corpo de Bombeiros. Também foi acionado uma retroescavadeira, pelo Corpo de Bombeiros, para realizar o rescaldo no local.

Redação Paraná Portal e BandNews FM Curitiba
Foto: Divulgação/PCPR

A Polícia Civil do Paraná (PCPR) cumpriu, nesta sexta-feira (20), cinco mandados de prisão contra suspeitos de integrarem uma organização criminosa que mantinha laboratórios de cocaína em Curitiba e Região Metropolitana.

A operação também cumpriu três mandados de busca e apreensão. A ação foi um desdobramento de investigações que resultaram na descoberta de dois laboratórios de droga, em abril e julho, na Grande Curitiba.

O homem apontado como líder da quadrilha foi preso à época, mas, mesmo detido, seguia no comando da operação criminosa.

“Ele era o responsável pelo laboratório para o refino de cocaína, mas a Polícia Civil apurou que mesmo com sua prisão o suspeito continuava a traficar e gerenciar um novo laboratório, tendo sua esposa como principal chefe do bando. Além dela, o esquema ainda contava com um outro gerente designado para cuidar desse laboratório e dois vendedores, responsáveis pela distribuição da droga aos usuários”, explica o delegado Victor Loureiro, responsável pelas investigações.

A investigação apontou que, nos laboratórios, os traficantes misturavam a droga pura com outros componentes, para aumentar a quantidade de entorpecente e, também, o lucro da quadrilha.

Segundo a polícia, cada um dos laboratórios tinha capacidade de manufaturar até seis quilos de cocaína por semana.

“Os traficantes recebiam a droga pura e a partir daí faziam uma mistura com outros insumos, para dar maior volume e potencializar os efeitos. Estimamos que cada um desses laboratórios poderia produzir de cinco a seis quilos de cocaína por semana”, completa o delegado.

De acordo com a Polícia Civil, os investigados devem responder por tráfico de drogas e associação para o tráfico.