Author

Redação

Browsing

Mais da metade dos profissionais LGBTI+ não se sente confortável em expor sua orientação sexual ou identidade de gênero em seu emprego, 35% relatam ter sofrido preconceito no ambiente de trabalho e 66% acham que podem ser prejudicados em suas carreiras ao se assumirem. São dados de pesquisas promovidas pelo LinkedIn, Opinion Box e pela plataforma Glassdoor e que retratam os desafios desse público no mundo corporativo. A TIM promove, na próxima sexta (26), uma live para, justamente, debater como as empresas podem colaborar para mudar essa realidade.

Participam Reinaldo Bulgarelli, Secretário Geral do Fórum de Empresas e Direitos LGBTI+; Maite Schneider, transexual e fundadora da ONG TransEmpregos; Lucas Maia, jornalista e cientista político; e Consuelo Cruz, do grupo de afinidade Diáspora da Rede Globo. A mediação será do influenciador digital AD Júnior. É no canal da operadora no YouTube, a partir de 15h. A iniciativa faz parte da série de ações programadas pela companhia para celebrar o Dia do Orgulho LGBTI+ (28/06), mobilizando colaboradores e a sociedade em geral para o enfrentamento da discriminação e luta a favor da igualdade e respeito às diferenças dentro do ambiente de trabalho.

Para acesso ao canal da TIM clique aqui.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) espera que centenas de milhões de doses de uma vacina contra a Covid-19 possam ser produzidas neste ano e dois bilhões de doses até o final de 2021, disse a cientista-chefe Soumya Swaminathan, nesta quinta-feira (18).

A OMS está elaborando planos para ajudar a decidir quem deveria receber as primeiras doses uma vez que uma vacina seja aprovada, afirmou a cientista.

A prioridade seria dada a profissionais da linha de frente, como médicos, pessoas vulneráveis por causa da idade ou outra doença e a quem trabalha ou mora em locais de alta transmissão, como prisões e casas de repouso.

“Estou esperançosa, estou otimista. Mas o desenvolvimento de vacinas é uma empreitada complexa, ele envolve muita incerteza”, disse. “O bom é que temos muitas vacinas e plataformas, então, se a primeira fracassar ou se a segunda fracassar, não deveríamos perder a esperança, não deveríamos desistir.”

Cerca de 10 vacinas em potencial estão sendo testadas em humanos na esperança de que uma possa se tornar disponível nos próximos meses para prevenir a infecção. Países já começaram a fazer acordo com empresas farmacêuticas para encomendar doses antes mesmo de se provar que alguma vacina funciona.

Swaminathan descreveu o desejo por milhões de doses de uma vacina ainda neste ano como otimista, acrescentando que a esperança de até dois bilhões de doses de até três vacinas diferentes no ano que vem é um “grande se”.

A cientista afirmou que os dados de análise genética coletados até agora mostraram que o novo coronavírus ainda não passou por nenhuma mutação que alteraria a gravidade da doença que causa.

Agência Brasil
Foto: Divulgação/Samira Chami Neves/UFPR

Especializada em culinária, a Famiglia Cerutti não se abalou com a crise e inaugurou um novo restaurante voltado à alimentação saudável

Com 49 anos de tradição na gastronomia, o empresário Osmar Cerutti e sua esposa e chef de cozinha, Jaci Cerutti, não se intimidaram com a crise e decidiram expandir os negócios com mais duas novas opções culinárias em Curitiba.

A família de restaurantes cresceu sob o comando de Thais Cerutti. Recém-chegada dos Estados Unidos, a filha do casal abriu sua primeira loja no complexo gastronômico Souq Curitiba e já tem feito muitos apaixonados por poke aproveitarem as delícias da culinária típica havaiana.

Com a experiência que adquiriu na graduação, na pós-graduação em confeitaria e panificação na Anhembi Morumbi e no curso da Le Cordon Bleu em Portland, a Chef Thais conseguiu inovar ainda mais no novo restaurante da família. O Ceruti Lifestyle oferece diariamente opções de comida saudável preparadas com insumos selecionados e orgânicos e, além da alimentação tradicional, também conta com opções veganas.

Super novidade

Para os amantes do clima típico curitibano, a partir desta sexta-feira (12), a casa oferece uma linha de congelados e abre a noite com um delicioso buffet de sopas e massas de aquecer o coração. Nele, serão oferecidos oito sabores de sopa, cinco massas e molhos variados, além de um incrível buffet de saladas e dos deliciosos couverts do chef com pastéis e pães de fermentação natural.

Excepcionalmente para o dia da inauguração, a casa oferece um brinde especial e preferencialmente pede por reservas antecipadas. O Cerutti Lifestyle está aberto de terça-feira a domingo das 18h30 às 22h30. O estacionamento gratuito.

Siga a Famiglia Cerutti nas redes: @famigli_cerutti e @pomekemencwb

Conheça os restaurantes da Famiglia Cerutti:

Cerutti Lifestyle

Especializado em cozinha saudável, o restaurante é o mais novo lançamento da Famiglia Cerutti. Conta com opções veganas, além de oferecer um buffet incrível de sopas.

Reservas e informações: (41) 9 9983-8262

Av. Vicente Machado, 2223 – Batel.

Cerutti Prime

Essa unidade de gastronomia possui um requintado buffet com alimentos de primor e excelência, além da grande variedade de pratos. O restaurante está sempre preparado para receber todos que adoram se deleitar com uma deliciosa refeição.

Reservas e informações: (41) 3023-6885

Av. Nossa Senhora Aparecida, 703 – Seminário

Cerutti Express

Além de mais de 20 opções de pratos quentes, o restaurante conta com um ótimo buffet de saladas e com a variedade de sobremesas de excelente qualidade sempre com rapidez e economia.

Reservas e informações: (41) 3345-6258

Av. República Argentina, 1920 – Água Verde

Sistema desenvolvido pela F&S Consulting utiliza a Solução 4G TIM no Campo da operadora para levar soluções de inteligência artificial e aumentar a biossegurança nas granjas

A TIM fechou uma parceria inédita com a F&S Consulting, empresa brasileira dedicada à inovação para a indústria de alimentos, para oferecer uma solução integrada de conectividade e inteligência artificial a seus clientes de agronegócio. O sistema, batizado de “Granja 4.0”, já está sendo realizado em fase piloto em parceria com a JBS, em Santa Catarina. O monitoramento remoto viabilizado pela tecnologia impacta também na redução da movimentação de pessoas nas granjas, essencial em tempos de Covid-19, fortalecendo ações de biossegurança.

Com o objetivo de otimizar a produtividade das propriedades, a solução monitora o bem-estar dos animais dentro das granjas, fornecendo através de sensores IoT informações em tempo real de indicadores como temperatura e umidade do ambiente, qualidade do ar, peso e até o comportamento dos animais. O sistema fará parte do portfólio de soluções IoT da TIM e utilizando o 4G TIM no Campo como solução de conectividade.

“Pioneira em conectividade no Agro, a TIM está trazendo para seu portfólio IoT a primeira solução de Granja 4.0 do mercado através de parcerias com empresas especialistas no setor de proteína animal. Esta solução vai permitir tomada de decisão em tempo real, levando a digitalização para as áreas de produção em todo o país”, explica Alexandre Dal Forno, Head de Marketing Corporativo & IoT da TIM Brasil e líder do projeto “4G TIM no Campo”.

O “Granja 4.0” leva conectividade para dentro das granjas, o que possibilita o uso de tecnologias que já existem ou que estão em desenvolvimento, mas que não funcionavam no meio rural por falta de internet dedicada. “Tem muita pesquisa produzindo ferramentas que utilizam internet das coisas e inteligência artificial e que precisam de conectividade para mostrar todo o seu potencial”, afirma Leonardo de La Vega, diretor executivo da F&S Consulting.

Os sensores instalados dentro das granjas, que estão conectados à plataforma Narrow Band IoT da TIM, coletam dados em tempo real que são processados e analisados, projetando cenários possíveis e permitindo a tomada de decisão antecipada. “Em vez de olhar pelo retrovisor, como fazemos normalmente hoje – com técnicos que realizam coletas e registram essas medições manualmente para produzir relatórios posteriores – temos diagnósticos precisos a cada minuto”, complementa Vega.

Nessa primeira fase do projeto, uma unidade da JBS em Santa Catarina, dedicada à produção de aves, vai receber a solução. Para José Antônio Ribas Júnior, Diretor de Agropecuária da empresa, “estamos na porta de um novo mundo, com a inteligência artificial permitindo não só monitorar uma realidade dentro da granja, mas já tomando a decisão de ajuste na hora, com precisão e celeridade”, explica. A JBS apostou no projeto por três pilares principais, explica Ribas: “bem-estar animal, ganhos qualitativos, e resultados através de redução de custos e agregação de valor”, destaca o executivo.

Biossegurança
No cenário atual, alerta Vega, com a necessidade de isolamento social e redução de trânsito de pessoas, a existência de sistemas como esse permite que as normas de biossegurança sejam mantidas com mais rigor, evitando que um técnico que visita diferentes propriedades ingresse no local. “Os técnicos passam a trabalhar de forma remota, avaliando informações coletadas pelos sensores que auxiliam com análises estatísticas para projeções futuras. É possível corrigirmos erros que sequer aconteceram ainda”, pondera o fundador da F&S.

Ribas vai além e acredita em uma nova realidade de trabalho para o pessoal técnico. “Imagino que, em pouco tempo, nossos extensionistas, que são os responsáveis pela relação da empresa com os produtores, irão poder fazer isso diretamente de um centro de comando, com muito mais informações e o apoio dos cálculos gerados em tempo real”, projeta.

Já Dal Forno afirma que é possível desenvolver um projeto de conectividade para qualquer tamanho de propriedade. “Outra vantagem é que o cliente não precisa ter a preocupação de fazer a manutenção desta rede, é a TIM que fica responsável por fazer tudo funcionar corretamente”, explica. Atualmente a empresa já conecta mais de cinco milhões de hectares no país.

Sobre a TIM
A TIM segue com sua missão de conectar e cuidar de cada um e para que todos possam fazer mais. Para isso, atua focada nos pilares estratégicos de oferta, infraestrutura, eficiência e experiência do cliente, com base em uma cultura interna de “accountability” e na mudança de processos e plataformas que permitam a transformação digital. A nova assinatura da marca – “A evolução não para” – reforça o compromisso da companhia com seu Plano de Investimentos e com o objetivo de se tornar a melhor operadora de telecomunicações do Brasil.
A empresa é desde 2015, líder em cobertura 4G no país e referência como player de ultra banda larga móvel e fixa. É ainda a única empresa do setor de telecomunicações no Novo Mercado da B3, reconhecido como nível máximo de governança corporativa, além de ser a operadora de telecomunicações há mais tempo consecutivo no Índice de Sustentabilidade Empresarial (ISE). Para mais informações, acesse www.tim.com.br.

Frequência aumenta cobertura e melhora a experiência do uso da internet móvel, especialmente em ambientes fechados

Apesar dos desafios operacionais, em tempos de combate ao coronavírus, a TIM mantém o seu plano de investimentos em rede no Paraná. A operadora trabalha na expansão e na melhoria da cobertura para garantir uma melhor experiência de uso da internet móvel aos seus clientes. Dentro deste projeto, acaba de contemplar mais 63 cidades paranaenses com a ativação da rede de quarta geração (4G) na frequência de 700 MHz. A tecnologia aumenta a capacidade de rede e permite um maior alcance do sinal, especialmente em ambientes fechados.

“Neste momento que o mundo enfrenta uma pandemia, a exigência do isolamento social coloca o setor de telecomunicações como serviços essenciais. Cientes do seu papel neste cenário, a TIM não parou seus investimentos de forma a garantir que a sociedade continue conectada, com uma rede capacitada para atender o aumento da demanda neste novo formato de trabalho, ensino e lazer”, explica o diretor Comercial da TIM Brasil para a Região Sul, Christian Krieger.

A TIM mantém a liderança na tecnologia 4G, com 3.506 municípios cobertos, o que representa 94% da população urbana do país. Em todo o Estado, a rede 4G da TIM já está disponível em 100% das 399 cidades paranaenses, sendo 264 com a frequência de 700Mhz. Por ser uma frequência mais baixa, a faixa 700 MHz permite um alcance de cobertura quatro vezes maior quando comparado ao da faixa de 2600 MHz, além de proporcionar uma maior penetração em ambientes indoor, como dentro de shoppings centers. Todos aparelhos do portfólio atual da operadora já operam na frequência 700 MHz. As ofertas de dados se mantêm, sem qualquer reajuste de preços por conta da nova tecnologia.

No PR, as novas cidades com a frequência em 700 Mhz são: Altônia, Antônio Olinto, Apucarana, Araruna, Assaí, Bandeirantes, Boa Ventura de São Roque, Bom Sucesso, Borrazópolis, Califórnia, Catanduvas, Centenário do Sul, Cianorte, Colorado, Curiúva, Fênix, Florestópolis, Flórida, Godoy Moreira, Goioerê, Guaíra, Guaraci, Guaraniaçu, Honório Serpa, Ibiporã, Icaraíma, Itambé, Ivatuba, Jandaia do Sul, Japurá, Jardim Alegre, Juranda, Mandaguari, Matelândia, Nova Londrina, Nova Olímpia, Nova Santa Rosa, Ourizona, Palotina, Pinhão, Pitangueiras, Quatiguá, Reserva do Iguaçu, Rio Bom, Rolândia, Santa Amélia, Santa Helena, Santa Inês, Santa Tereza do Oeste, São Jerônimo da Serra, São João do Ivaí, São João do Triunfo, São Jorge do Ivaí, Serranópolis do Iguaçu, Teixeira Soares, Terra Boa, Terra Rica, Terra Roxa, Toledo, Tomazina, Turvo, Uniflor e Xambrê.

Morreu nesta quarta-feira (27), em Curitiba, o jornalista curitibano Ali Chaim, que apresentava um programa de entrevistas na Rádio E-Paraná, a emissora do governo do estado. O Califa 33, como era chamado, tinha 81 anos e estava internado no Hospital Santa Cruz. A causa da morte não foi divulgada.

No jornalismo, o repórter se destacou de uma forma peculiar na cobertura policial. Chaim costumava descrever o ambiente de uma delegacia, com a linguagem de policiais e criminosos: “O, malandragem! Você aparece todo mês aqui. Gosta da quentinha? O que puxou agora?”.

Entre os anos 1970 e 1980, o jornalista apresentou um programa diário de cinco minutos na TV Iguaçu (hoje Rede Massa): O Coaxo do Califa. Chaim não aparecia no vídeo. Apenas a sombra do jornalista era vista pelos espectadores, como se ele estivesse em uma cabine.

Rádio CBN Curitiba
Foto: Reprodução/Programa Persona da UFPR

Operadora é a primeira a permitir pagamento de planos pós-pagos e controle com o cartão virtual da Caixa e beneficia usuários de todos os segmentos


As telecomunicações são ainda mais essenciais durante o combate à Covid-19. Com o isolamento social, muitas pessoas estão usando seus celulares para trabalhar, estudar, comprar ou se manter próximo da família e amigos mesmo a distância. Buscando facilitar ainda mais o acesso aos serviços, a TIM passa a aceitar o cartão virtual da Caixa para pagamento de faturas e recarga. Assim, os clientes poderão usar parte do auxílio emergencial oferecido pelo Governo para se manterem conectados.


A operadora é a primeira a oferecer a possibilidade de uso do cartão de débito virtual da Caixa para os segmentos pós-pago e controle. Os clientes poderão pagar suas faturas de forma simples e rápida, escolhendo a opção “pagar com cartão” na área logada do site https://www.tim.com.br. Já os usuários de planos pré-pagos podem fazer recargas com o auxílio emergencial por meio da plataforma de autoatendimento. Basta discar *244# no celular TIM e inserir os dados necessários. O cartão de débito virtual foi criado pela Caixa Econômica Federal para facilitar o uso do dinheiro por quem recebeu o benefício do auxílio emergencial do Governo e está disponível para mais de 100 milhões de correntistas.


Vale ressaltar que a TIM mantem ainda diversos benefícios para que os clientes possam usar a tecnologia nesse momento em que é importante evitar deslocamentos e aglomerações. Usuários de planos pós-pagos e controle contam com bônus de até 2GB de dados. Clientes do pré-pago têm até 100MB de bônus por dia ao assistir vídeo educativo sobre o coronavírus e as recargas de até R$ 20 tiveram a validade estendida para 60 dias. A operadora reforçou também a oferta de serviços de educação e entretenimento, com gratuidade por 30 dias de apps como Playkids, Looke e E-book by Skeelo, dentre outras iniciativas.

Segundo o professor do Insper, Thomaz Conti, a pandemia provocada pela COVID-19 estabelece uma crise em três frentes: saúde pública, economia e comportamento.

O futebol está vinculado aos três e, no campo do comportamento, atravessa talvez a sua maior crise.

Para voltar à atividade, o esporte precisa restabelecer os treinos e construir um protocolo de atividades. Caso contrário, não sairá da inércia.

O futebol é um trem cheio de vagões lotados, e lento. Foi fácil parar, mas seu retorno requer cautela, tempo e atenção. Não apenas na condição física dos atletas, mas também o emocional precisa ser observado.

Entretanto, voltar a treinar para disputar competições exige que se responda a seguinte pergunta: em qual mundo o jogo será jogado: o do passado ou de um novo mundo, o do NOVO NORMAL?

O mundo esportivo do passado tinha a presença de torcedores, de financiamento abundante, do matchday (conjunto de ações no dia do jogo), da venda de atletas, dos valores da TV, do streaming e dos patrocinadores que buscavam visibilidade.

Esse mundo midiático levou a arenas cobertas construídas com enorme fomento estatal, para um público que nem sempre comparecia. Mas e no NOVO NORMAL, como será?

Provavelmente, os estádios com grande capacidade ficarão obsoletos. Representarão risco de aglomeração e, consequentemente, de disseminação do vírus.

Os estádios do futuro tendem a ser para público reduzido – isso se o público, de fato, puder voltar a freqüentá-los.

Se forem reabertos, haverá novas regras de distanciamento entre todos os envolvidos no evento. Provavelmente, as praças de alimentação ficarão interditadas. Camarotes lotados também serão proibidos.

Como será a nova relação da indústria do futebol, que hoje ocupa 1% do PIB nacional, através das transações de atletas, salários e demais contratos? Como ficarão os direitos de atletas? Além do Coronavírus, a aberração jurídica que deu a Paulo André (ex-Corinthians) indenização por jogar à noite e aos domingos deve contribuir para que surja um NOVO NORMAL.

Os contratos de patrocínio, que em boa parte passaram a exigir experiências e conteúdo, mais que a simples manutenção da imagem estampada em calções e camisas, também serão revistos. Haverá um novo pacto da riqueza e, sim, vai sobrar para o futebol.

Outro fenômeno é o papel das federações e confederações na proteção dos clubes e competições. O momento mostra quem de fato tem serventia. A CBF sinalizou com uma pequena ajuda financeira para federações e clubes da Série D. A entidade também trabalha intensamente para postergar os efeitos da inadimplência no Profut e tenta ajudar os clubes diante da absurda exigência de indenização de 100% em caso de rescisão dos atletas. Porém, diante do quadro de crise ainda age timidamente. É preciso avançar.

Outro fenômeno que deve surgir no NOVO NORMAL será a fusão de clubes e a incorporação societária. Para que isso ocorra será necessário avançar na lei do clube-eempresa ou até mesmo aprovar um novo marco nacional do futebol.

O Brasil respira futebol. Além do profissional, o feminino, as categorias de base e o enorme contingente de amadores precisam de amparo. Não poderemos ter uma divisão no esporte, entre os que ficaram no passado e os que estarão no NOVO NORMAL.

Nello Morlotti, economista, comunicador e ativista do Futebol Brasileiro

O Paraná vai receber R$ 1,9 bilhão do socorro financeiro aos estados e municípios. O Programa Federativo de Enfrentamento ao Coronavírus (PLP 39/2020) foi aprovado pelo Senado e pela Câmara e o dinheiro deverá ser disponibilizado nos próximos quatro meses.

Segundo a administração estadual, R$ 1,7 bilhão terão uso livre, principalmente na reposição das perdas de arrecadação, e R$ 269 milhões serão encaminhados para a saúde pública.

Conforme o PLP 39/2020, o Paraná terá a quinta maior cota, representando 5,72% do valor total do socorro aos estados e municípios. O estado fica atrás de São Paulo, Minas Gerais, Rio de Janeiro e Rio Grande do Sul. A verba é dividida por meio de critérios como arrecadação do ICMS, população, cota no Fundo de Participação dos Estados e contrapartida paga pela União pelas isenções fiscais relativas à exportação.

Contudo, a lei federal ainda precisa sancionada pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido). Só depois disso os municípios do Paraná vão poder receber R$ 163 milhões para aplicação em saúde pública e R$ 1,163 bilhão para uso livre. Os repasses estimados para os municípios estão presentes na tabela da CNM (Confederação Nacional dos Municípios).

Além disso, a legislação confirma a suspensão do pagamento de dívidas com a União e bancos públicos até o final deste ano. Com isso, o Paraná deixará de pagar R$ 211 milhões para investir em equipamentos, servidores, insumos e leitos hospitalares.

PARANÁ TEM QUEDA ACIMA DOS R$ 440 MILHÕES EM ABRIL

Conforme a Secretaria da Fazenda, a queda na arrecadação é “muito maior” que a reposição do socorro financeiro no auxílio federal.

Segundo a pasta, em abril, o Paraná registrou queda de R$ 448,6 milhões nas receitas de ICMS, o principal tributo e fonte de arrecadação estadual. Além disso, a previsão de maio é uma queda de até R$ 740 milhões e a perda em dois meses chegaria a R$ 1,18 bilhão. O número seria quase 70% do total que será repassado para o Estado no quadrimestre.

A arrecadação de ICMS de abril foi 16,9% menor do que no mesmo mês do ano passado e está relacionado com as operações realizadas em março, em valores corrigidos pela inflação. Pela legislação, 25% do valor arrecadado com ICMS é repassado aos municípios, o que também impactou negativamente os caixas das prefeituras.

Já na indústria e no comércio varejista, o Paraná deixou de arrecadar R$ 79,9 milhões e R$ 57,2 milhões, respectivamente. Na relação das principais atividades contribuintes do ICMS, houve perdas também em combustíveis (-14,5%), energia (-5,4%), bebidas (-21%), automóveis (-29%), serviços e outros (-20%) e comércio atacadista (-11,9%). O setor de agricultura e extração, sob influência da safra de soja, mostrou aumento de 8%.

Estão incluídas no relatório as empresas do Simples Nacional. Nessa categoria houve redução de 71% na arrecadação em abril em razão do programa estadual de extensão de pagamento por três meses, medida anunciada dentro do pacote econômico para atender as necessidades dessa modalidade.

Redação Paraná Portal
Foto: (Arnaldo Alves / AEN)

O Dia das Mães, uma das datas comemorativas mais celebradas ao redor do mundo, também costuma ser importante para o comércio brasileiro. Com o isolamento social para combate ao novo coronavírus, o processo de compra tende a ser diferente, com presentes entregues diretamente na casa dos clientes. E a TIM já está preparada para esse novo cenário de consumo.

A operadora lança ofertas especiais de smartphones com descontos imperdíveis para a data. Aparelhos como o Galaxy S20, por exemplo – lançamento recente e grande destaque da Samsung – passa de R$ 5.499 para R$ 2.999, no plano TIM Black Família 100GB. Quem adquiri-lo na TIM até o dia 10 de maio também ganha um smartwatch Galaxy Active2¹.

 “O isolamento social consolidou uma nova forma de comunicação. Vemos muitas mães conectadas aos seus filhos usando o smartphone, principalmente em vídeo chamadas, algo que não era comum para boa parte desse público. Queremos que os clientes passem por esse momento difícil da melhor forma possível e sabemos que a tecnologia é uma grande aliada”, explica João Stricker, Head de Marketing Consumer e SMB da TIM Brasil.

Em pesquisa divulgada recentemente pelo Opinion Box em parceria com a Social Miner, é possível comprovar que o Dia das Mães não será passado em branco: 65,60% dos respondentes pretendem comemorar a data. Mesmo em um cenário de isolamento social, 67,9% vai presentear alguém. Em linha com os resultados do levantamento realizado no ano passado, eletrônicos representam 13,10% das intenções de compra para celebrar a data em 2020, sem mudanças nessa preferência mesmo com cenário econômico desafiador e alta das taxas de câmbio.

“O Dia das Mães é a segunda maior data do varejo no Brasil e mesmo no cenário da pandemia as pessoas valorizam muito a comemoração, já que a pesquisa mostra que a maior parte dos internautas brasileiros deve comprar presentes”, afirma Felipe Schepers, COO da Opinion Box.

Além da oferta do Samsung Galaxy S20, a operadora oferece outras opções de presente para agradar mães com diferentes perfis: o Motorola One Hyper, com sensor de ultra resolução na câmera principal de 64MP quad pixel, sai de R$ 2.499 por R$ 1.299 no plano TIM Black 12GB +12GB. O LG K40s, smartphone mais acessível e que conta com câmera dupla com Inteligência Artificial, pode ser adquirido por apenas 12 parcelas de R$ 39 ou R$ 468 à vista no TIM Controle Smart ou Redes Sociais.

Essas ofertas são válidas até 11 de maio e podem ser encontradas no site da operadora (tim.com.br) e também nas revendas que estão abertas, respeitando as regras de quarentena e distanciamento social dos seus respectivos Estados.

A loja virtual da companhia está pronta para o aumento da demanda – nos últimos dois meses, o número de novos usuários na página cresceu 74% – e garante um processo de compra e entrega seguro, com informações sobre todos os cuidados adotados na logística dos smartphones, desde a chegada aos estoques até à recepção pelo consumidor. O e-commerce terá ainda ofertas “relâmpago” exclusivas, atreladas ao TIM Black 20GB, até o dia 09 de maio. São destaques aparelhos como o LG K12 Plus, o Galaxy S10 e o Moto G8 Play a partir de R$125/mês (valor total do plano mais o aparelho).

¹ Ação “Comprou e Ganhou” válida de 12/03 à 10/05/2020. Na compra de um Galaxy S20, S20+ ou S20 Ultra você ganhará um Galaxy Wacth Active 2 (SKU: SM-R820NZKAZTO). Estoque ilimitado de brindes. Para participar da ação é imprescindível o cadastro no site Samsung Para Você dentro do período de 12/03 à 03/06/2020. Consulte mais informações no site www.samsungparavoce.com.br.

Sobre a TIM

A TIM segue com sua missão de conectar e cuidar de cada um para que todos possam fazer mais. Para isso, atua focada nos pilares estratégicos de oferta, infraestrutura, eficiência e experiência do cliente, com base em uma cultura interna de accountability e na mudança de processos e plataformas que permitam a transformação digital. A empresa é desde 2015 líder em cobertura 4G no País e referência nas tendências do mercado, em linha com a assinatura da marca: “A inovação não para”.

A companhia é a única do setor de telecomunicações a integrar o Novo Mercado da B3, reconhecido como nível máximo de governança corporativa, além de estar há 12 anos seguidos no Índice de Sustentabilidade Empresarial (ISE): é a operadora por mais períodos consecutivos nesta carteira. Também é primeira empresa de telefonia reconhecida pela Controladoria-Geral da União (CGU) com o selo Pró-Ética, iniciativa que existe com o objetivo de promover um ambiente corporativo mais íntegro, ético e transparente. Para mais informações, acesse: www.tim.com.br.