Redação – Paraná Portal
Foto: Divulgação

Apesar da bandeira vermelha determinada hoje (28) pela Prefeitura de Curitiba, válida até o dia 9 de junho, as aulas presenciais continuam permitidas na rede particular. As aulas na rede pública, no entanto, continuam remotas.

Diferentemente da primeira bandeira vermelha, anunciada em março, desta vez a rede privada não ficará impedida de receber os alunos.

“Nós temos as escolas privadas abertas desde o ano passado, em outubro, e temos acompanhando os protocolos deles”, disse a secretária municipal da Saúde, Márcia Huçulak.

“É também uma apelo dos próprios pais, que têm mais dificuldades quando o ensino é remoto. Para pais e mães da área da saúde, sobretudo, é uma situação complicada. Escola é um serviço essencial”, concluiu.

Segundo a Secretaria Municipal da Saúde, no setor da Educação, e em relação às aulas presenciais, a capital deve seguir as orientações do Estado.

Em relação às atividades religiosas, a Prefeitura de Curitiba procura seguir as resoluções da Sesa (Secretaria de Estado da Saúde). Na capital, igrejas e templos de qualquer culto podem abrir, desde que respeitem uma ocupação máxima de 15%.

BANDEIRA VERMELHA EM CURITIBA

A Secretaria Municipal da Saúde retomou nesta sexta-feira (28) a bandeira vermelha, que indica risco máximo de contágio pelo coronavírus e impões medidas mais restritivas para tentar controlar a covid-19.

Segundo a prefeitura, as medidas previstas no decreto têm o objetivo de diminuir a circulação de pessoas na cidade e, assim, diminuir a disseminação do vírus entre a população.

O toque de recolher noturno deve ser respeitado das 21h até as 5h.

Serviços não essenciais devem fechar para atendimento ao público aos finais de semana. De segunda a sexta-feira, devem respeitar as restrições de horário e os protocolos sanitários previstos.

Escreva um comentário