Setores de alimentos e bebidas

A produção de alimentos é a principal atividade industrial do Paraná. O setor representa 32% do PIB industrial do Estado e é o que gera mais empregos formais. Em 2020, puxou o crescimento da indústria, com alta acumulada de 9,4%. Já a fabricação de bebidas, que engloba cervejas, refrigerantes, água e sucos, deve receber mais de R$ 400 milhões em investimentos este ano, segundo dados do Governo do Estado. Não por acaso, estes dois segmentos industriais estarão juntos no Encontro Virtual de Negócios Internacionais de Alimentos e Bebidas. O evento acontece de 25 a 27 de maio, e as inscrições vão até dia 23 de abril, numa promoção conjunta do Centro Internacional de Negócios do Sistema Federação das Indústrias do Paraná, FIEMG, Confederação Nacional da Indústria e a Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex – Brasil).


Gerdau em Araucária

Maior produtora de aço do Brasil, a Gerdau vai reativar a produção na usina de Araucária, parcialmente desativada há sete anos. Com investimento na ordem de R$ 55 milhões, a empresa deve começar a operar no segundo semestre, em um movimento que criará 250 novos postos de trabalho. A produção na planta de Araucária foi hibernada em 2014, quando a demanda pelo produto caiu no Brasil, na esteira do desaquecimento da construção civil. A usina de Araucária tem capacidade para produzir 420 mil toneladas de aço por ano, e deve começar com 35 mil toneladas. No Paraná, a marca mantém essa planta, além de quatro lojas comerciais espelhadas no estado.


Coamo e Credicoamo

Os cenários econômico-financeiro da Coamo e da Credicoamo, sediadas em Campo Mourão, na região Centro-Oeste do Paraná, foram apresentados aos gestores e executivos das duas cooperativas durante a 5ª reunião institucional do Sistema Ocepar de 2021, promovida na última quinta-feira. 22, em formato virtual. Em 2020, a Coamo atingiu R$ 19,66 bilhões de faturamento e encerrou o ano com 29.438 cooperados, 8.095 funcionários, R$ 12,25 bilhões em ativos, R$ 6,22 bilhões de patrimônio líquido, R$ 479,53 milhões em impostos recolhidos e R$ 1,10 bilhão em sobras. Já a Credicoamo fechou o ano passado com receita global de R$ 196,1 milhões, 20.922 associados, 270 colaboradores, R$ 3,5 bilhões em ativos, R$ 863,7 milhões de patrimônio líquido, R$ 8,6 milhões em tributos recolhidos e R$ 119,7 milhões em sobras.


Investimentos da Prati-Donaduzzi

A indústria farmacêutica Prati-Donaduzzi, maior fabricante de medicamentos genéricos do Brasil, com sede em Toledo, no Oeste do Estado, está iniciando a construção de sua nova unidade, segundo informações do jornal Gazeta do Povo. Quando ficar pronta, vai garantir o aumento da produção em 40%, consolidando sua liderança no mercado. A nova unidade terá 11 mil metros quadrados e capacidade de produção de 3,6 bilhões de doses terapêuticas por ano. Com a conclusão, prevista para início de 2023, a produção da indústria chegará a 17 bilhões de doses por ano. O novo prédio faz parte de um investimento que começou no ano passado e deve se estender por mais dois anos, totalizando R$ 650 milhões.


Produção do setor mineral

A produção comercializada do setor mineral no Brasil alcançou 227 milhões de toneladas no primeiro trimestre deste ano, com aumento de 15% na comparação com o mesmo período de 2020. De janeiro a março de 2021, o setor faturou R$ 70 bilhões, o que representa alta de 95% frente aos R$ 36 bilhões obtidos no primeiro trimestre do ano passado. Os dados foram divulgados na última quinta-feira, 22, pelo Instituto Brasileiro de Mineração (Ibram), entidade que reúne as maiores mineradoras que atuam no país. Segundo o presidente do Conselho Diretor do Ibram, Wilson Brumer, três fatores explicam o bom desempenho do setor, mesmo em meio à pandemia de covid-19. “As principais razões desse aumento substancial no faturamento são o crescimento da China, a alta dos preços no mercado internacional e a desvalorização do real.”


Produção de açúcar

O adido agrícola do Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA) em São Paulo está estimando a safra de cana brasileira 2021/22 (abril-março) em 635 milhões de toneladas, um decréscimo de três por cento ante as 657 milhões de toneladas colhidas e processadas no ano anterior. O centro-sul deve colher e moer 580 milhões de toneladas, ante 605 milhões de toneladas em 2020/21, um recuo de 4,13 por cento. Para a região norte-nordeste, a expectativa é de uma moagem de 55 milhões de toneladas em 2021/22, elevação de três milhões de toneladas, ou por 5,7 por cento, ante as 52 milhões de toneladas estimadas para 2020/21.


Soja em abril

As exportações brasileiras de soja em grão deverão fechar abril entre 14 milhões e 16,79 milhões de toneladas, conforme levantamento semanal da Associação Nacional dos Exportadores de Cereais (ANEC). Em abril do ano passado, as exportações ficaram em 14,28 milhões de toneladas. Em março, o país embarcou 14,91 milhões de toneladas. Na semana entre 11 e 17 de abril, o Brasil embarcou 3,75 milhões de toneladas. Para o período entre 18 e 24 de abril, a ANEC indica a exportação de 4,03 milhões de toneladas. Para o farelo de soja, a previsão é de embarques de 1,75 milhão de toneladas em abril. No mesmo mês do ano passado, o total exportado foi de 1,84 milhão de toneladas. Em março, volume ficou em 1,27 milhão de toneladas. Na semana passada, as exportações ficaram em 333,12 mil toneladas e a previsão para esta semana é de 510,4 mil toneladas.


Varejo argentino

O Ministro da Agricultura, Pecuária e Pesca da Argentina oficializou que a produção de carnes não pode ultrapassar peças individuais de 32 kg para venda ao varejo. A resolução é válida a partir de 1º de janeiro de 2022. A administração nacional, afirma que a comercialização, em média, gera ineficiências na alocação de cortes que têm impacto no preço a ser pago e que a medida promove a transparência comercial. Além disso, o corte deve ser realizado com o auxílio de meios mecânicos adequados. Também estabelece que a forma de repartição do meio gado não deve afetar as áreas apreciadas pelos consumidores e deve respeitar os cortes tradicionais para manter o seu valor monetário em cada mercado varejista.


PSA na Alemanha

O surto mortal de Peste Suína Africana na Alemanha atingiu mais de 1.000 casos, atrasando seu retorno como grande exportador de carne, já que a batalha para erradicar o vírus persiste. A contagem crescente arrisca manter as exportações do maior produtor de carne suína da União Europeia, beneficiando outros vendedores no bloco e nas Américas. Compradores de carne como Vietnã e Cingapura abrandaram as proibições iniciais ao fornecimento alemão, mas a proibição do principal importador, a China, está limitando as vantagens. É improvável que Pequim o retire antes de meados do ano, no mínimo, de acordo com um relatório do Rabobank de março. Estima-se que 1.016 javalis no leste da Alemanha – embora não haja porcos nas fazendas – contraíram a peste suína africana desde um relatório inicial no outono passado, mostram os números dos estados afetados de Brandemburgo e Saxônia.


Açúcar para a Ucrânia

O Ministério da Economia da Ucrânia propôs a isenção da tarifa de importação de 50% sobre 120 mil toneladas de açúcar branco em um projeto de lei apresentado ao parlamento na última quinta-feira, 22. Não ficou claro quando o parlamento vai considerar o assunto, mas o documento propôs que a medida deveria estar em vigor até 1º de outubro deste ano. A Ucrânia produzia 5 milhões de toneladas de açúcar branco por ano na era soviética, mas desde então cortou a produção anual para cerca de 1 milhão de toneladas por causa da redução no consumo e da concorrência do açúcar de cana mais barato. O ministério disse este mês que a Ucrânia precisava importar 110 mil toneladas de açúcar nesta temporada para atender às necessidades domésticas após a baixa produção em 2020. A Ucrânia importou 40 mil toneladas de açúcar entre fevereiro e março.


Agrotóxicos

O Ministério da Agricultura liberou na última quinta-feira, 22, o registro de mais 34 agrotóxicos para utilização industrial, ou seja, produtos que serão usados como matéria-prima na elaboração de pesticidas para os agricultores. Do total, um princípio ativo é inédito, o Halauxifen-metil, e os outros 33 são genéricos. Somando com os produtos liberados diretamente para os agricultores, já são 140 registros anunciados em 2021. O Halauxifen-metil é um herbicida indicado para plantas daninhas de difícil controle. Sua classificação quanto ao potencial de periculosidade ambiental é de “Produto Perigoso ao Meio Ambiente”, segundo o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama). O composto também tem autorização para ser utilizado na União Europeia e nos Estados Unidos.

Escreva um comentário