Redação – Paraná Portal
Foto: Divulgação/Sesa

O número de casos confirmados de covid-19 no Paraná diminuiu pela quinta semana seguida. Desde o final de fevereiro, a Sesa (Secretaria de Estado de Saúde) vê queda no número de diagnósticos da doença. No entanto, o Estado segue no pico da pandemia. O governo estadual atribui a diminuição aos decretos restritivos das últimas semanas.

Na semana de 4 a 10 de abril (considerada a 14ª semana epidemiológica) teve 14.636 novos casos, uma queda de 25,77% com relação à semana anterior.

É a primeira vez desde novembro de 2020 que o número se distancia de 20 mil casos. O informe leva em consideração os dias das confirmações dos testes, e não sua divulgação.

No histórico, o maior pico registrado desde novembro no Paraná se deu entre os dias 28 de fevereiro e 6 de março (9ª semana de 2021), com 37.831 casos.

  • 35.647 na 10ª semana (7 a 13 de março),
  • 34.122 casos na 11ª semana (14 a 20 de março),
  • 29.585 casos na 12ª semana (21 a 27 de março)
  • 19.718 casos na 13ª semana (28 de março a 3 de abril).

A somatória do Estado reflete a situação das quatro macrorregionais do Paraná, que também têm apresentado diminuição no número de diagnósticos.

LEITOS DE COVID-19

A taxa de ocupação dos leitos de UTI do SUS exclusivos para Covid-19 é de 95%. O indicador é superior a 90% em todas as regiões: leste (95%), oeste (91%), noroeste (95%) e norte (97%).

O número consta no boletim do coronavírus desta segunda-feira (12).

MÉDIA MÓVEL E ÓBITOS POR COVID TAMBÉM CAEM NO PARANÁ

O número de casos diagnosticados também caiu na média móvel de sete dias. Em 10 de abril, este indicador apresentou média de 2.090 casos, queda de 53,6% com relação ao indicador de 14 dias atrás.

A redução nos casos reflete também no número de mortes por covid-19. A semana epidemiológica 14 registrou 655 mortes no Paraná, redução de 24,89% com relação à semana anterior.

A média móvel de sete dias confirma esta tendência. Em 10 de abril, a média era de 93 óbitos, apresentando queda de 49,4% com relação a 14 dias antes.

Com informações da AEN.

Escreva um comentário