Redação – Paraná Portal
Foto: Gilson Abreu/AEN

O governo do Paraná determinou a flexibilização das medidas de combate à covid-19. O governador Ratinho Junior (PSD) assinou um novo decreto que já está valendo e tem vigência até o próximo o dia 30. Entre as principais medidas estão a diminuição do período do toque de recolher e a liberação do funcionamento do comércio por maior tempo.

A restrição de circulação de pessoas durante à noite, chamado toque de recolher, terá início às 23 horas e terminará às 5 horas do dia seguinte. Até agora, o período era entre 20h e 5h. Os profissionais e veículos das atividades essenciais não têm restrição.

Já o horário de funcionamento de restaurantes, bares e lanchonetes foi estendido por três horas. Agora os estabelecimentos poderão abrir ao público das 10 horas às 23 horas, de segunda a sábado, com ocupação máxima de 50%. Fora desses dias e horários poderão atender na modalidade de delivery.

Comércio de rua, galerias e centros comerciais e de prestação de serviços não essenciais em municípios com mais de 50 mil habitantes podem funcionar das 10 horas às 22 horas, de segunda a sábado e com limitação de 50% de ocupação. Os municípios com menos de 50 mil habitantes devem seguir a regulamentação municipal.

Os shopping centers estão autorizados a abrir ao público das 11 horas às 22 horas, de segunda a sábado, com limitação de 50% de ocupação. Restaurantes, bares e lanchonetes que funcionam nesses locais poderão funcionar até 23 horas, seguindo determinação do novo decreto.

As academias seguirão as regras do comércio não essencial, com funcionamento de segunda a sexta-feira até 22 horas e com 30% de ocupação. A diferença é que poderão abrir mais cedo, a partir de 6 horas.

Além disso, o decreto ainda orienta que templos, igrejas e outros espaços para práticas religiosas adotem, preferencialmente, o formato virtual. Em casos de atividades presenciais, os locais devem respeitar o limite de 15% da ocupação.

NOVO DECRETO PASSA A VALER NO PARANÁ: O QUE SEGUE PROIBIDO

Confira todas as medidas que foram mantidas pelo governador Ratinho Junior:

  • Proibida a venda e consumo de bebidas alcóolicas em espaços de uso público continua mantida a partir das 20 horas, exceto em restaurantes, bares e lanchonetes, que seguirão o novo horário de 23 horas;
  • Atividades não essenciais não poderão funcionar aos domingos;
  • Proibidas atividades que causem aglomerações, como casas de shows, circos, teatros, cinemas e museus;
  • Proibidos eventos sociais e atividades correlatas em espaços fechados, como casas de festas, de eventos, incluídas aquelas com serviços de buffet; os estabelecimentos destinados a mostras comerciais, feiras, eventos técnicos, congressos e convenções; casas noturnas e correlatos; além de reuniões com aglomeração de pessoas, encontros familiares e corporativos.
  • Comércio de rua, galerias e centros comerciais e de prestação de serviços não essenciais em municípios com mais de 50 mil habitantes podem funcionar das 10 horas às 22 horas, de segunda a sábado, com limitação de 50% de ocupação. Os municípios com menos de 50 mil habitantes devem seguir a regulamentação municipal.

Leia a íntegra do novo decreto.

NÚMEROS DA COVID-19

O novo decreto é divulgado um dia após o Paraná superar a marca de 19 mil mortes por covid-19. Desde o início da pandemia, são 878.627 pessoas infectadas.

Conforme o último boletim da Sesa (Secretaria de Estado da Saúde), a taxa de ocupação das UTIs está em 95%. O indicador é superior a 90% em todas as regiões: leste (95%), oeste (91%), noroeste (95%) e norte (97%).

O governo do Paraná analisa que houve queda no número de casos confirmados de covid-19 pela quinta semana seguida. Apesar disso, o patamar ainda é alto e exige demanda dos hospitais.

Na semana de 4 a 10 de abril (considerada a 14ª semana epidemiológica) foram registrados 14.636 novos casos, uma queda de 25,77% com relação à semana anterior. É a primeira vez desde novembro de 2020 que o número se distancia de 20 mil casos.

Além disso, conforme o histórico, o maior pico registrado no Paraná ( desde novembro) se deu entre os dias 28 de fevereiro e 6 de março (9ª semana de 2021), com 37.831 casos.

  • 35.647 na 10ª semana (7 a 13 de março),
  • 34.122 casos na 11ª semana (14 a 20 de março),
  • 29.585 casos na 12ª semana (21 a 27 de março)
  • 19.718 casos na 13ª semana (28 de março a 3 de abril).

Além de Ratinho Junior, também assinam o decreto o chefe da Casa Civil, Guto Silva, e o secretário da Saúde, Beto Preto.

Escreva um comentário