O ex-deputado Euclides Scalco, Cidadão Honorário do Paraná, morreu na madrugada desta terça-feira (16) aos 88 anos após lutar contra a Covid-19. Ele deixa a esposa, filhos e netos.

Gustavo Fruet, ex-prefeito de Curitiba, lamentou a morte nas redes sociais. “Uma das grandes referências e inspiração para minha trajetória na vida pública. Uma honra ter estado ao seu lado em momentos desafiadores, inclusive na eleição do Senado em 2010.”

Em dezembro de 2019, Dr. Euclides Scalco recebeu o título de Cidadão Honorário do Paraná. Na época, ele disse ficou muito emocionado com o reconhecimento.

“Eu cheguei no Paraná por Francisco Beltrão e me dediquei a fazer atendimentos na área hospitalar, que tanto o Estado precisava. Para mim, é empolgante este momento e poder honrar o Estado que me recebeu como filho. Na vida pública, consegui corresponder com aquilo que a população necessitava. Sou um homem feliz por tudo isso”, disse quando recebeu o título.

O prefeito de Francisco Beltrão, Cleber Fontana, decretou luto oficial. “Perdemos uma grande liderança que sempre contribuiu para o nosso município, para a nossa região e pelo Brasil”, disse o parlamentar. O corpo do ex-deputado será cremado hoje à tarde em Curitiba.

PERFIL DE EUCLIDES SCALCO

Nascido em 16 de setembro de 1932 em Vista Alegre, distrito da cidade de Nova Prata, no Rio Grande do Sul, Euclides Girolamo Scalco é formado em Farmácia e Bioquímica pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Exerceu a profissão de farmacêutico e bioquímico e se casou com Teresinha Marcolin Scalco, com quem teve quatro filhos.

Em 1959 chegou a Francisco Beltrão. No município do sudoeste paranaense fixou residência e foi dono da farmácia São Vicente de Paula e da Policlínica São Vicente.

Foi vereador e prefeito de Francisco Beltrão, onde também participou de movimentos de trabalhadores rurais ligados à Igreja Católica. No início da década de 70, se pós-graduou em economia agrária pela Universidade de Louvain, na Bélgica, e em economia no Instituto Lebret, na França.

Foi um dos fundadores do Movimento Democrático Brasileiro (MDB) no Paraná, em 1966, quando o Brasil vivia um momento de repressão política sob o comando de militares.

Três vezes eleito deputado federal, participou assembleia nacional constituinte que deu origem à Carta Magna de 1988, a Constituição Cidadã. Antes, participou da gestão do ex-governador do José Richa exercendo o cargo de chefe da Casa Civil e também participou ativamente da campanha das Diretas Já.

Durante os anos de exercício do cargo na Câmara Federal, esteve ligado às comissões de Saúde, Previdência e Assistência Social. Na Constituinte, defendeu a proteção das empresas nacionais, o rompimento de relações diplomáticas do Brasil com países que desenvolvessem uma política de discriminação racial, medidas de proteção ao trabalhador, a nacionalização do subsolo, a proibição do comércio de sangue, o direito de sindicalização do servidor público, a anistia aos micro e pequenos empresários, a limitação do direito de propriedade privada, entre outras.

Escreva um comentário