Redação – Paraná Portal
Foto: Jonathan Campos/ AEN

O governo do Paraná, por meio da SEDU (Secretaria de Estado do Desenvolvimento Urbano e de Obras Públicas), diz que aumentou o trabalho de apoio aos municípios e operou 3.249 ações de apoio ao desenvolvimento urbano no primeiro semestre de 2021.

Conforme o balanço divulgado hoje, R$ 1,9 bilhão foi movimentado com a pavimentação de vias, projetos de urbanização, construção de edifícios públicos e na aquisição de máquinas, equipamentos e serviços.

O secretário João Carlos Ortega diz a ação direcionada e municipalista do governo estadual foi fundamental no estímulo das economias locais. As empresas que executam os contratos geram empregos, pagam impostos e fazem o comércio circular.

“E quando a ação é concluída a população tem o benefício da nova Unidade de Saúde, do asfalto em frente de casa e de tantos outros benefícios que geram qualidade de vida e desenvolvimento social”, enfatizou.

A participação direta do governo do Paraná ainda se destaca com o volume de recursos repassados por Transferência Voluntária, a fundo perdido, que alcançou a cifra dos R$ 965,3 milhões. Os R$ 963,6 milhões restantes foram viabilizados via operações de crédito e contrapartidas municipais.

Do total de investimentos, R$ 1,2 bilhão corresponde a 2.588 obras, concluídas e entregues à população. Outras 417 ações continuam em execução e correspondem ao investimento de R$ 546 milhões.

O trabalho desenvolvido pela SEDU também será responsável intensa atividade de construção civil nos municípios até o final do ano: seis ações já receberam aprovação técnica (R$ 1,4 milhão) e em outras 145 ações (R$ 125,3 milhões) as prefeituras já têm a autorização para licitar os projetos.

São 24 autorizações (R$ 7,4 milhões) para contratar os executores, 42 ações (R$ 15 milhões) estão contratadas e 27 (R$ 12,48 milhões), além de contratadas, já têm cronograma de execução.

“A SEDU mantém o seu ritmo, recebendo as demandas apresentadas pelos prefeitos e estendo as melhorias a milhares de paranaenses”, disse Ortega. “Ainda teremos as liberações que irão acontecer no segundo semestre, o que fará do resultado do ano ainda mais significativo para os municípios e suas populações”, completa ele.

Escreva um comentário