Destaques

História em quadrinhos sobre a covid-19 produzida na UFPR é premiada no Butantan

O projeto “Coronavírus – Chega de Fake News”, do curso de Medicina do Campus Toledo da UFPR (Universidade Federal do Paraná) foi premiado no concurso “Micróbios em Tirinhas”, do Museu de Microbiologia do Instituto Butantan, em São Paulo. A HQ (história em quadrinhos) intitulada “A Saga do COVID no corpo humano” levou o segundo lugar.

O trabalho teve coordenação da professora Kádima Nayara Teixera, com colaboração da professora Jéssica Ruths, o intérprete de libras Thiago Mazzarollo e 14 estudantes de Medicina. Como prêmio, o Butantan deu um kit de teste de microrganismos.

O objetivo tem como divulgar informações sobre a covid-19 com linguagem simples e ilustrativa.

“Ver as fake news sobre o novo coronavírus e a pandemia causando caos, pânico e histeria na população, logo no início, me incomodava bastante”, conta Kádima Teixeira.

Segundo ela, o projeto ainda está em andamento e tem três fases. “A elaboração de cards ilustrativos sobre como o vírus infecta as pessoas; tirinhas que mostram como o sistema imunológico nos defende do vírus e por fim um vídeo desenhado e narrado em tempo real sobre os cuidados de prevenção à doença”, explica.

A estudante do quinto ano de Medicina, Brenda Malucelli Rocha, de 20 anos, foi uma das integrantes da equipe que ajudou o projeto na conquista do segundo lugar com habilidades artísticas e conhecimento acadêmico.

“Sempre gostei de desenhar, mas não tinha experiência com o estilo de HQ e menos ainda com arte digital. Tive que aprender do zero e foi bastante gratificante ver o resultado final. Pude participar da criação de um modo de fornecer conhecimento científico de um jeito simples para a população. Foi incrível proporcionar essa vitória aos colegas e professores envolvidos na criação do projeto, bem como agregar à UFPR Toledo”, relata.

Já Lucas Augusto Marcon, de 21 anos e no segundo ano da graduação, atuou na elaboração dos esboços dos quadrinhos, bem como na digitalização e na arte final da tirinha, e o sentimento após o concurso é de dever cumprido.

“Quando criamos um projeto desse surge o medo de não conseguir ser claro na proposta ou de não conseguir conquistar quem lê. Ter ficado em segundo no concurso do Museu de Microbiologia dá um recado tranquilizador para nós. É o sinal de que o projeto tem tudo para cumprir com seu objetivo. É muito satisfatório”, completa.

Os outros 12 estudantes que participaram da elaboração dos quadrinhos são: Angélica de Fátima Marcussi, Bruna Fernandes, Bruna Spironello Anshau, Camilla Scott Moreira, Éirky Fernandes Silva, Felipe Ferreira dos Santos, Ghabriel Luiz Bellotto, Juliana Yukari Oshiro, Juliane Toffoli da Silva, Luan Gabriel Pinto, Marco André Reis Pinheiro e Mônica Patrícia de Souza.

Redação – Paraná Portal
Foto: Reprodução

Escreva um comentário