Redação – Paraná Portal
Foto: Pixabay

Homem é preso suspeito de estuprar quatro sobrinhas no Paraná

Um homem de 56 anos foi preso suspeito de estuprar quatro sobrinhas em Pontal do Paraná, cidade no litoral do Estado e a 101 quilômetros de Curitiba. De acordo com a Polícia Civil, ele foi detido no último sábado (9) após ter sido denunciado. A mãe de uma das vítimas, uma criança de seis anos, soube que o crime aconteceu no dia 8 de outubro de 2020, mas não tinha feito a denúncia até semana passada por medo do cunhado. Segundo ela, o suspeito é uma pessoa violenta e dispunha de uma arma em casa.

“A equipe do plantão foi até o local para verificar a situação da arma e, constatando o fato, acabou prendendo o suspeito em flagrante e o conduziu até a delegacia. Paralelamente, pudemos constatar que o mesmo autor teria cometido outros três fatos de violência sexual. Então temos quatro vítimas até o momento, todas integrantes do núcleo familiar, sendo sobrinhas”, conta o delegado Lucas Mariano, responsável pelo caso.

Conforme ele, a vítima de seis anos foi ouvida por uma psicóloga e uma delegada Maria Niza, do Nucria (Núcleo de Proteção à Criança e ao Adolescente) de Paranaguá, responsável por adotar uma técnica chamada “depoimento sem dano”. Segundo Mariano, a oitiva surtiu efeito e comprovou o estupro.

Uma mulher de 27 anos, que mora em Curitiba e é irmã mais velha das outras duas vítimas, também confirmou que foi estuprada aos 11 anos. Outra sobrinha do suspeito que já confirmou ter sido abusada foi uma jovem de 18 anos, que atualmente mora em Portugal. Ela foi ouvida por videoconferência e contou que foi violentada há 10 anos atrás. Por fim, a terceira irmã, também com 18 anos, deverá ser ouvida nos próximos dias.

Segundo o delegado Lucas Mariano, o Poder Judiciário acolheu o pedido de prisão preventiva e agora a polícia tenta identificar possíveis novas vítimas. “O indivíduo se encontra preso neste momento, pronto para ser interrogado e encaminhado para a cadeia pública”, finaliza.

A Polícia Civil afirma que segue realizando diligências e tem o prazo de 10 dias para concluir o inquérito. O homem de 56 será indiciado por estupro de vulnerável, que tem pena prevista de 8 a 12 anos de prisão, e posse de arma ilegal, com pena que gira entre 3 e 6 anos, conforme o Código Penal.

Escreva um comentário