Direto ao Ponto

João Arruda propõe redução de ICMS para geração de empregos

Da FIEP

Mandato com independência, prioridade em investimentos e foco na geração de emprego foram os principais pontos defendidos pelo candidato ao governo do Estado João Arruda do Movimento Democrático Brasileiro (MDB).

Uma das propostas apresentadas pelo candidato é a redução das tarifas de água e de luz. “ Vamos fazer da mesma forma que fizemos durante os 8 anos do governo do MDB. Vamos diminuir a distribuição dos lucros. Hoje o lucro vai de 25% a 50%. Nós usávamos os 25% de distribuição de lucros. Hoje eles usam 50% tanto da Copel quanto da Sanepar”, explicou ao ser questionado de como a redução seria viável.  Ele também disse que irá criar uma tarifa social de água. “ Para isso, é preciso reduzir impostos também. Isso não é renúncia fiscal, isso é troca de impostos e ICMS por empregos”, enfatizou ao apontar a redução como uma forma de aumentar o poder de compra dos paranaenses.

Pedágio

O emedebista afirmou, que sempre foi contrário às prorrogações dos contratos de concessão das rodovias e defende a construção com transparência de um novo modelo. “A Fiep tem sido muito firme em relação ao enfrentamento que fez sobre os contratos de pedágio e as suas prorrogações. Votei contra no Congresso Nacional. Temos que fazer o desenvolvimento através de investimentos em infraestrutura, mas sem prejudicar o povo paranaense”, defendeu.

Educação

Questionado sobre qual seria a prioridade que daria para a educação em seu governo, o postulante ao governo do Estado, disse que “antes de qualquer coisa, é preciso consertar. A realidade é dura”. Segundo ele, há dificuldade com itens básicos.  Após os ajustes necessários, ele defende criar polos nas cidades para a oferta de ensino integral com foco em educação profissionalizante. “Não quero reduzir as matérias básicas, temos que ter um ensino só, não um de rico e um para pobre. Defendo contra turno com atividades culturais”, propôs aos empresários.

Semelhanças com Requião

O parentesco com o senador Roberto Requião foi questionado. João Arruda disse que admira o tio, mas não há razão para temer a relação. “Eu exerço o meu mandato com muita independência, aprendi com o próprio Requião a ser um político independente. Eu serei o governador, mas é claro que o Requião tem muito a contribuir, quero aproveitar a sua experiência administrativa para fazer um governo ainda melhor”, finalizou.

Escreva um comentário

%d blogueiros gostam disto: