Redação – Paraná Portal
Foto: Myke Sena

O Ministério da Saúde lança, neste sábado (20), uma mobilização nacional para a imunização contra a covid-19. Chamada de Mega Vacinação, a campanha nacional terá uma semana de força-tarefa para incentivar os brasileiros que não voltaram aos postos de vacinação para tomar a segunda dose ou dose de reforço.

Com slogan “Proteção pela metade não é proteção”, a força-tarefa acontece até 26 de novembro. No período, os postos de vacinação em todo país estarão preparados para intensificar a imunização dos brasileiros.

Para dar visibilidade a ação, a pasta vai promover um evento simultâneo em seis capitais em todas as regiões do País. Os secretários nacionais do ministério estarão em pontos de vacinação em Curitiba, São Paulo, Manaus, Brasília e Salvador. O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, participa da força-tarefa, no Rio de Janeiro.

21 milhões não voltaram para completar o ciclo vacinal

A iniciativa do Ministério da Saúde acontece em conjunto com o Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass) e o Conselho Nacional de Secretarias Municipais de Saúde (Conassems), e tem o objetivo de incentivar que os 21 milhões de brasileiros que não voltaram para completar o ciclo vacinal procurem os postos de vacinação no país para garantir a proteção máxima.

A campanha também chama a atenção para a necessidade de reforçar a imunidade contra a doença. São 9,3 milhões de brasileiros aptos a tomarem essa dose.


“Nós queremos convidar a todos os brasileiros que não foram tomar a segunda dose, assim como a dose de reforço, a procurar as Unidades Básicas de Saúde, salas de vacinação e as estratégias usadas em cada município. Essas doses estão disponíveis para a população, que ficará mais protegida e ajudará o Brasil a superar a crise sanitária e dar exemplo com uma das campanhas de vacinação mais bem-sucedidas do mundo, promovida integralmente pelo Sistema Único de Saúde”, afirma o ministro da Saúde.

Segundo um levantamento do Ministério da Saúde, São Paulo, com 4,1 milhões de pessoas; e Minas Gerais, com mais de 2,2 milhões, são os estados que mais possuem brasileiros nessa situação. Entre os “atrasadinhos”, 2,9 milhões têm entre 30 e 34 anos, faixa etária com o maior número de pessoas que não voltaram ao posto de vacinação.

Escreva um comentário