Redação – Paraná Portal
Foto: Ricardo Marajó/SMCS

Nove em cada 10 casos graves de covid-19, que levam a internamento ou óbitos, em Curitiba, acometem pessoas que ainda não completaram o esquema de imunização com duas doses ou a dose única da vacina.

Os dados são da Secretaria Municipal da Saúde de Curitiba e divulgados pela BandNews FM.

Segundo a pasta, atualmente, 89% das pessoas que morrem por complicações da covid-19 não estão completamente imunizadas. Entre os pacientes que precisam ser internados, 91% ainda não completaram o esquema vacinal.

Para a análise, a Secretaria Municipal da Saúde analisou o período entre março – quando os primeiro grupos prioritários receberam a segunda dose da vacina – e agosto.

O epidemiologista da Secretaria Municipal de Saúde, Diego Spinoza, lembra que o ápice da imunização oferecida pelas vacinas é alcançado 14 dias após a segunda dose.

Segundo ele, ainda é preocupante o alto número de pessoas que receberam apenas a primeira dose.

“Conseguimos, no primeiro momento, diminuir os desfechos mais graves nas pessoas que são mais vulneráveis, os idosos, e na sequência com o avanço da vacinação dos menores de 60 anos, teremos um cenário mais favorável”, afirma.

COVID-19: VARIANTE DELTA PREOCUPA

De acordo com o especialista, até maio, a imunização oferecida pela primeira dose da vacina contra a covid-19 era satisfatória.

Naquela época, a variante gama, identificada primeiramente no Amazonas, era predominante. No entanto, a introdução da variante delta, antes chamada de variante indiana, reforçou a necessidade da imunização completa.

“Até maio, uma dose oferecia alguma proteção para evitar infecções, internamentos e óbitos. Com a variante delta, a gente percebeu que precisa ampliar o cenário de vacinados com duas doses para compor um cenário melhor”, diz Spinoza.

VACINAÇÃO EM CURITIBA

Desde o início da vacinação contra a covid-19 até esta terça-feira (31), Curitiba completou a vacinação de apenas 32% da população.

A incidência de coronavírus em pessoas com 60 anos ou mais, que em tese já deveriam estar todos imunizados com duas doses, caiu mais de 50%, segundo a Secretaria Municipal da Saúde.

Atualmente, adultos a partir de 20 anos respondem por 80% dos casos de covid-19. Ou seja, a circulação do vírus predomina na população mais ativa e que ainda não completou o esquema vacinal.

Apesar do recente aumento dos casos ativos de covid-19 em Curitiba, a Secretaria Municipal da Saúde avalia que o avanço da campanha de vacinação impediu que os hospitais ficassem novamente lotados.

Escreva um comentário