Pedro Ribeiro – Paraná Portal
Foto: Isac Nóbrega/PR

Está devidamente comprovado que a falta de uma política nacional efetiva de testagem em massa da população, que não ocorreu no início da pandemia, o aumento do número de casos de covid-19 no Brasil, causado pela chegada da variante Ômicron. Anunciado pelo Ministério da Saúde, em 17 de setembro do ano passado, o Plano Nacional de Expansão da Testagem para Covid-19 (PNE-Teste) não chegou a mais da metade dos municípios do País, segundo pesquisa da Confederação Nacional dos Municípios (CNM) feita com exclusividade para o Estadão.

A Associação dos Municípios questionou as prefeituras se o Ministério da Saúde havia dado “algum apoio” – com insumos ou financeiro – no plano nacional de testagem e 51,8% afirmaram que não. Outros 40,6% disseram ter recebido ajuda da pasta e 7,6% não responderam. O levantamento, realizado de forma amostral, consultou 1.871 municípios entre os dias 10 e 13 de janeiro.

Em Curitiba, o deputado Luiz Claudio Romanelli disse nesta quinta-feira, 13, que o presidente Jair Bolsonaro (PL) se comporta como patético, ridículo e desumano quando afirma que a variante ômicron é bem-vinda ao Brasil. “A variante ômicron é bem-vinda ao Brasil”, disse Bolsonaro.

“É patético, ridículo, desumano! O objetivo dele desde o início é contaminar toda a população. É o maior aliado do coronavírus. Até quando o Congresso Nacional quedará silente?”, questiona Romanelli em postagem no twitter.

Escreva um comentário