Divulgação/Paraná Clube

A diretoria do Paraná Clube agradeceu, nesta sexta-feira (16), a Companhia Paranaense de Saneamento Básico (Sanepar), pelas obras de recuperação da área aberta do rio Juvevê, ao lado do Estádio Durival Brito e Silva, na Vila Capanema. A mensagem foi repassada a administração da empresa pelo conselheiro e responsável pelo projeto de regularização, Nello Morlotti.

A audiência na Sanepar foi coordenada pelos diretores de Meio Ambiente e Ação Social e Jurídico, Júlio Gonchoroski e Andrei Rech. Ambos ouviram sobre a importância que a iniciativa da companhia proporcionou a comunidade tricolor, aos moradores do entorno e ao Vale do Pinhão.

Morlotti apresentou as soluções contidas no Master Plan de regularização junto a SPU e a dinâmica do processo histórico de posse da área. “Nesta semana estive em Brasília para tratar da minuta que será apresentada ao conselho gestor do clube. São dois cálculos complexos que atrasaram um pouco os nosso planos, mas já temos o caminho”, disse o conselheiro.

De acordo com ele, reconhecer e agradecer a Sanepar pelas obras de recuperação reforça a posição do Paraná, que “tem orgulho de habitar este espaço que nos foi deixado pelos antepassados”, afirmou.

Parceria
Nello Morlotti lembrou da necessidade de construção da piscina de contenção de cheias do lado rio Belém e pediu o apoio na obra por parte da Sanepar. Na audiência, ouviu dos diretores sobre os aspectos jurídicos e ambientais da obra.

Com as obras já executadas, uma nova paisagem começa a se desenhar às margens do único trecho aberto dos rios Juvevê e Cajuru, no bairro Rebouças, próximo ao Estádio Durival de Britto e Silva, em Curitiba. As ações de revitalização daquele espaço estão sendo executadas pela Sanepar, com apoio da Prefeitura de Curitiba.

A dragagem e o desassoreamento com escavadeira hidráulica retiraram dos rios material sedimentado e entulhos, permitindo um melhor fluxo dos Rios Juvevê e Cajuru. Os taludes foram limpos, nivelados e readequados.

O trabalho incluiu a roçada do mato alto e a extração das árvores exóticas invasoras, cedendo espaço para o plantio de espécies nativas de pequeno, médio e grande portes e de grama, ao longo das margens dos rios e em seu entorno. Essa intervenção recompôs um ambiente natural integrado à malha urbana.

O concreto do entorno ganhou cores numa grafitti, feita pelos artistas Ferge e May, que pintaram figuras relacionadas à história local, aos mananciais, aos caminhos percorridos para que a água potável chegue à população e à importância do ambiente natural e da sua integração com o meio urbano. Também foram pintados a passarela de madeira para pedestres sobre o Rio Juvevê e o guarda-corpo no cruzamento com a Rua Engenheiro Rebouças.

A área revitalizada tem 6.500 m², e o trecho dos rios é de 260 metros. Estão em execução novos passeios compartilhados nas margens dos Rios Juvevê e Cajuru, interligando-os com ciclovia, ruas e passeios já existentes. A ação faz parte do acordo judicial feito pela Sanepar com a 11.ª Vara Federal em Curitiba.

“É um trabalho de recuperação dessa área para que seja um espaço de uso compartilhado, com árvores, na forma de um bosque. É uma ressignificação urbanística e ambiental, que gera valor para a sociedade”, afirma o diretor de Meio Ambiente e Ação Social, Julio Gonchorosky.

Escreva um comentário