Redação – Paraná Portal
Foto: Arnaldo Alves / AEN

A Secretaria de Estado da Saúde (Sesa) publicou três novas resoluções sobre cirurgias eletivas, aulas presenciais e funcionamento de igrejas e templos religiosos.

As cirurgias eletivas estão autorizadas novamente, desde que não demandem internação em UTI no pós-operatório.

As aulas presenciais podem voltar, independentemente da quantidade de alunos em sala. Anteriormente, o limite era de 30%, mas como cada escola conta com um espaço, a Sesa deixa a cargo de cada escola a quantidade de alunos em sala. Devem ser mantidas as estratégias para organização do fluxo de entrada e saída e distância mínima de um metro e meio entre as pessoas.

As aulas nas escolas particulares foram autorizadas no dia 5, mas as aulas das escolas públicas estaduais seguiram de maneira remota.

GOVERNO DO PARANÁ DIMINUI RESTRIÇÕES PARA IGREJAS

A Secretaria de Estado da Saúde também aumentou a capacidade de público presencial em igrejas e templos religiosos de 25% para 35%. A medida consta na Resolução 440/2021, publicada nesta sexta-feira (30).

Os espaços destinados à celebração de cultos religiosos devem respeitar o distanciamento de 1,5 metros entre as pessoas, uso de álcool gel e recomendar aos frequentadores as medidas preventivas de higienização das mãos e uso de máscaras.

Além disso, os elementos de ritos religiosos, como hóstias, por exemplo, devem ser entregues na mão do fiel – e não na boca.

É indicado que bancos e cadeiras sejam de uso individualizado, em quantidade compatível com o número máximo de participantes autorizados para o local. Em lugares que os bancos são coletivos, os mesmos devem ser reorganizados e demarcados de forma a garantir que as pessoas se acomodem nos locais indicados e mantenham o afastamento mínimo umas das outras.

Deve ser realizado o controle do fluxo de entrada e saída de pessoas nas igrejas e templos, e na hipótese de formação de filas, deve haver demarcação para manter o distanciamento mínimo entre os participantes.

O documento mantém a orientação para que os líderes religiosos priorizem as cerimônias virtuais. Além disso, o documento recomenda que idosos com mais de 60 anos e pessoas do grupo de risco, como hipertensos, diabéticos, gestantes, entre outros, permaneçam em casa e acompanhem as celebrações por meios de comunicação como rádio, televisão e internet.

*Com informações da BandNews FM e da CBN Curitiba

Escreva um comentário