Redação – Paraná Portal
Foto: Rodrigo Félix Leal/SEIL

Desde a zero hora deste sábado (27), com o fim dos contratos de concessão, 14 praças de pedágio liberaram as cancelas nas rodovias do Paraná. Às 23h59, outras 13 praças serão desativadas, alcançando todas as 27 praças existentes até domingo (28).

Pela primeira vez em 24 anos, a administração das rodovias federais e estaduais do Paraná retorna para o poder público. Desde 1997, as estradas eram administradas pelas seis concessionárias que atuavam no Estado.

Com o fim dos contratos, os trechos federais ficam sob responsabilidade do Dnit (Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes). Os trechos estaduais passam para o DER-PR (Departamento de Estradas de Rodagem).

PEDÁGIO: O PLANO DE OPERAÇÃO DO GOVERNO DO PARANÁ

Embora a data do fim dos contratos de concessão fosse conhecida desde a assinatura, há duas décadas, o governador Ratinho Junior (PSD) deixou o anúncio detalhado sobre o plano de operação do Governo do Paraná para esta sexta-feira (26).

Segundo ele, as praças de pedágio permanecem desativadas até que um novo modelo de concessão seja implementado. Até lá, o patrulhamento dos locais será de responsabilidade da PRF (Polícia Rodoviária Federal) e PRE (Polícia Rodoviária Estadual).

A expectativa é de que o novo leilão de concessão das rodovias paranaenses, válido pelos próximo 30 anos, seja concluído no terceiro trimestre de 2022. O Governo do Paraná espera investimentos de R$ 44 bilhões em obras de infraestrutura.

ratinho junior, tarcísio de freitas, ministério da infraestrutura, dnit, der, antt, transporte, rodovia, rodovias, anel de integração, pedágio
Acordo para o novo leilão do pedágio foi costurado entre Ratinho Junior (esq.) e Tarcísio de Freitas (dir.), ministro da Infraestrutura (Jonathan Campos/AEN)

O Governo do Paraná frisou que os acordos já estabelecidos judicialmente continuam valendo mesmo após o fim dos contratos. Além disso, as obras que estão em andamentos nas rodovias do Paraná serão entregues.

“Estamos falando de uma geração que não conseguiu andar em rodovias não pedagiadas e uma geração que não viu uma rodovia com pedágio justo. Temos que mudar essa realidade para que uma nova geração possa conviver com estradas modernas, com infraestrutura e acima de tudo tenha um preço descente”, detalhou Ratinho Junior, governador do Paraná.

TRÁFEGO DE VEÍCULOS COM O FIM DOS PEDÁGIOS NO PARANÁ:

  • carros, motos, caminhões e outros veículos, passarão apenas pelas vias laterais das praças de pedágio (praças centrais bloqueadas);
  • implantações do novo fluxo de tráfego estão sendo feitas pelas concessionárias;
  • tráfego será monitorado pela PRF e PRE.

COMO SERÁ FEITA A REMOÇÃO DE VEÍCULOS COM GUINCHOS?

  • nos primeiros dias do fim das concessões de pedágio no Paraná, a remoção dos veículos, para liberação de pista, será feito pela PM, PRE e PRF;
  • a retirada dos veículos da rodovia é responsabilidade do condutor.

Não haverá atendimento para panes mecânicas, pneus furados ou falta de gasolina. Nestes casos, a responsabilidade é exclusivamente do condutor.

*Rodovias atendidas pela Econorte (Londrina e norte pioneiro) continuarão recebendo atendimento da concessionária. 

COMOS SERÃO FEITOS OS ATENDIMENTOS DE URGÊNCIAS NAS RODOVIAS DO PARANÁ?

  • o atendimento de acidentes serão feitos pelo Corpo de Bombeiros (SIATE), por meio do Samu.

De acordo com o governo, o investimento mensal será de R$ 2,77 milhões para reforçar os atendimentos nas rodovias. Trinta e oito (32 unidades de suporte básico e seis unidades de suporte avançado) novas ambulâncias foram distribuídas para atendimento prioritário nas estradas.

TELEFONES ÚTEIS

Em caso de acidentes em rodovias federais ou estaduais do Paraná, o cidadão pode contar com o apoio dos órgãos de segurança que já realizam o atendimento nas estradas com ou sem pedágio. Se o trecho foi estadual (PRs e PRCs), a responsabilidade recai sobre a PRE. Em rodovias federais (BRs), o atendimento é feito pela PRF.

Corpo de Bombeiros, sobretudo por meio do Siate, também dispõe de estrutura para fazer o atendimento nas rodovias. Assim como o Samu, responsável originalmente por casos clínicos, mas também com possibilidade de suporte a acidentes.

  • PRF: 191
  • PRE: 198
  • SIATE / CORPO DE BOMBEIROS: 193
  • SAMU: 192

Escreva um comentário