Cidades

Prefeito e agentes públicos de Guaratuba são alvos do Gaeco

O prefeito de Guaratuba, Roberto Justus (DEM), e agentes públicos da cidade são alvos, nesta terça-feira (17), de uma operação do Gaeco (Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado) do Ministério Público do Paraná. A ação faz parte da Operação Reprise e investiga fraudes em licitações.

Ao todo são sete mandados de busca e apreensão. Em Guaratuba as ordens judiciais são cumpridas nos gabinetes do prefeito e do procurador municipal; salas da Secretaria Municipal do Meio Ambiente e do Setor de Licitações do Município; casas do prefeito; do chefe de gabinete da Prefeitura e da procuradora do Município. Em Curitiba, são cumpridos mandados na sede de empresa que faz a coleta de resíduos em Guaratuba e em duas residências de empresários vinculados à empresa.

O Gaeco busca documentos, computadores, pendrives, arquivos eletrônicos, celulares e outros possíveis elementos de prova. As ordens judiciais foram expedidas pela 2ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça do Paraná.

A reportagem tenta contato com a Prefeitura de Guaratuba.

INVESTIGAÇÃO EM GUARATUBA

Segundo o Gaeco, as investigações apontam ingerência da empresa de gestão de resíduos na elaboração do edital que levou à sua contratação, o que levou ao cancelamento formal da primeira licitação, em 2018. A empresa foi recontratada pelo Município de Guaratuba, em três oportunidades, com dispensa de licitação.

Em julho de 2019, em novo processo licitatório – com os mesmos critérios restritivos à ampla concorrência, indicados no edital de 2018 e então contestados pelo Tribunal de Contas do Estado do Paraná –, a empresa foi contratada novamente pelo Município de Guaratuba.

Redação Paraná Portal
Foto:
Divulgação/Prefeitura de Guaratuba

Escreva um comentário