Destaques

Ratinho Junior recebe policiais civis e militares para discutir reajuste salarial

O governador Ratinho Junior se reúne nesta terça-feira (2), às 14 horas, no Palácio Iguaçu, com as lideranças das entidades representativas das polícias Civil e Militar que não aderiram à greve do funcionalismo público, preferindo manter o diálogo com o governo para o atendimento de suas reivindicações que são a reposição de 4,94% da inflação que não está sendo paga desde maio e a data-base.

Dentro da Polícia Civil, representada pela Associação dos Delegados de Polícia do Paraná (Adepol), há expectativa de um consenso entre o governo e as lideranças militares em relação à questão salarial para se evitar uma possível operação padrão, o que causaria transtornos à sociedade. Pela Adepol, participará da reunião o seu presidente, delegado Daniel Fagundes. Pela Polícia Militar do Estado, que não aderiu à greve em respeito à Constituição (órgão de segurança pública não pode fazer greve) participará o coronel Washington Rosa.

Também participarão da reunião, o Comandante da Polícia Militar do Estado do Paraná, Coronel Péricles Mattos, o Secretário de Segurança Pública, Rômulo Marinho e o líder do governo na Assembleia Legislativa, Hussein Bakri. Vereadores e deputados quiseram participar do encontro mas foram aconselhados a deixar a negociação a nível do Executivo.

São as seguintes as entidades representativas da Polícia Militar e seus respectivos presidentes que estarão presentes no encontro: Assofer (Coronel Farias), Amai (Coronel Mariot), AVM (Coronel Washington Rosa), Associação dos Subtenentes e Sargentos (Sargento Lucinda).

A Comunicação Social do Governo do Estado não confirmou se o encontro terá a participação do governador Ratinho Junior ou se será com assessores diretos do Governo. Em relação aos funcionários públicos que estão em vigília em frente ao Palácio Iguaçu, o Governo reafirmou que “com grevistas não há conversa”.

As lideranças do movimento grevista dos servidores públicos informam que está havendo adesão em todo o Estado e que mais de 80% das escolas já estão sem aulas. O Governo do Estado desmente, afirmando que a paralisação não chegou a 5%. No entanto, há dezenas de pessoas protestando em frente ao Palácio Iguaçu e Assembleia Legislativa.

Fonte: Paraná Portal

Escreva um comentário