Cidades

Sanepar afirma que regiões Oeste e Sudoeste podem ter rodízio de água

A Sanepar afirmou nesta quinta-feira (5) que as regiões Oeste e Sudoeste do Paraná podem sofrer com rodízio de água caso a crise hídrica no estado não se altere.

“O uso da água deve ser priorizado para a alimentação, higiene pessoal e limpeza dos ambientes. De um lado, temos a redução drástica nos mananciais de abastecimento e, do outro, aumento da demanda por água tratada. A conta não fecha. Vai faltar água e teremos de adotar medidas mais severas para poder manter o abastecimento em diversas cidades”, analisou a gerente-geral da Sanepar, Rita Camana.

O caso mais crítico é o do Rio Siemens, responsável pelo abastecimento de Capanema e Planalto. O afluente teve queda de 75% na vazão e a Sanepar teve que colocar um poço para produzir um milhão de litros por dia para atender os municípios.

A queda de vazão de 50% no Rio Jirau Alto pode impactar o abastecimento em Dois Vizinhos, enquanto o Rio do Lontra registrou 70% de perda de vazão e deve prejudicar os habitantes de Salto do Lontra.

Outros municípios afetados são Santa Izabel do Oeste – queda de 45% na vazão do Rio Anta Gorda, em Nova Prata do Iguaçu – assoreamento do Rio Santa Cruz e Rio Cotegipe também com redução na vazão, e em Salgado Filho – Rio Tamanduá com vazão comprometida em 75%.

Já Bom Jesus do Sul exigiu que a Sanepar utilizasse um caminhão-pipa para retirar água de Santo Antônio do Sudoeste até o outro município.

Quem também tem sofrido com os impactos da crise hídrica é Cascavel. O Lago Municipal está dois metros abaixo da profundidade normal e o Rio São José está com vazão reduzida em 40%, enquanto a Sanepar mantém atenção aos níveis do Rio Cascavel.

Por fim, o Rio Baú (queda de 50% na vazão) e o Rio Trigolândia (queda de 20% na vazão) estão impactando os municípios de Guaraniaçu e Três Barras do Paraná, respectivamente.

Redação – Paraná Portal
Foto: Divulgação/Sanepar

Escreva um comentário