Redação – Paraná Portal
Foto: Reprodução UOL/Redes sociais

A explosão em uma churrasqueira no bairro Sítio Cercado, em Curitiba, na noite do último sábado (2), resultou em três mortes até o momento. A terceira vítima foi Larrisa Petez, 20 anos, que estava internada na UTI (Unidade de Terapia Intensiva) do Hospital Evangélico Mackenzie e faleceu nesta segunda-feira.

Os outros dois óbitos confirmados eram Wemerson Souza, de 26 anos, e Gustavo Lucas Castro, um ano mais velho. Um rapaz, de 28 anos, segue internado em estado grave. Já o quinto ferido, apontado como namorado de Larrisa, que morreu hoje, teve alta. Uma sexta pessoa envolvida na explosão da churrascaria teve ferimentos leves e negou atendimento.

“A informação inicial do local foi que eles foram jogar mais combustível em uma churrasqueira e não perceberam que tinha fogo. Chegamos lá e várias vítimas queimadas. No nosso atendimento foi um rapaz com 90% do corpo queimado, em estado gravíssimo”, conta o socorrista Marcelo Pereira, do Grupo Resgate Voluntário Parceiros da Vida, à rádio CBN Curitiba.

O Corpo de Bombeiros ainda não sabe informar o tipo de combustível usado na confraternização e aguarda pelos laudos da perícia. Contudo, a orientação do socorrista é prestar atenção com os acessórios usados para não gerar qualquer explosão, como a que foi registrada no último fim de semana.

” Infelizmente essa é uma prática comum. A recomendação é que sempre que forem fazer churrasco, não utilizarem combustível inflamável. Existe no mercado várias pastilhas e equipamentos para fazer fogo de forma segura”, completa ele.

Escreva um comentário