Redação Paraná Portal e Tarobá News
Foto: Reprodução/Tarobá News

UPA fecha em Cascavel: “impossível receber novo paciente”, diz secretário de saúde

A UPA (Unidade de Pronto Atendimento) Brasília, em Cascavel, na região oeste do Paraná, precisou ser fechada para novos pacientes, na noite desta terça-feira (2), pela falta de leitos e capacidade técnica.

Conforme informações da Prefeitura, estavam no local no momento da lotação: 14 pacientes intubados, cinco em processo de intubação e 40 pacientes internados em leitos de enfermaria.

“É humanamente impossível receber qualquer novo paciente”, descreveu Thiago Stefanello, secretário municipal de saúde, para a Tarobá News.

A Secretaria Municipal de Saúde afirmou que, se for necessário, ambulâncias do Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência) serão retidas como leitos, já que ontem a noite restavam apenas dois ventiladores disponíveis na UPA Tancredo.

SITUAÇÃO DA COVID-19 EM CASCAVEL

O ambulatório do Hospital da Retaguarda, que recebeu equipamentos do Zoológico de Cascavel, e a UPA Brasília estão lotadas, por isso, não podem admitir novos pacientes.

A orientação é que os pacientes suspeitos ou confirmados com a Covid-19 procurem a UPA Veneza ou Tancredo durante a madrugada. Já durante o dia, a determinação é para que a população procure uma UBS (Unidade Básica de Saúde) ou USF (Unidades de Saúde Familiar).

De acordo com a Sesa (Secretaria de Estado da Saúde), desde o início da pandemia Cascavel registra 25.205 casos confirmados e 333 mortes em decorrência da Covid-19.

MINISTRO DA SAÚDE DEVE VISITAR O MUNICÍPIO

O ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, aceitou o convite do prefeito de Cascavel, Leonaldo Paranhos, e irá visitar o município da região Oeste do Paraná nesta quinta-feira (4).

Paranhos havia convidado Pazuello para verificar a situação da saúde pública no município, por causa do recente aumento dos casos e internações pela Covid-19.

“Estamos diante de uma realidade muito triste, os números não param de aumentar. Estamos recebendo muita gente da região. A situação é bem precária. Acho que vamos conseguir justificar e ter uma cota extra de vacina. Como a chegada da vacina nós dependemos dos outros, vamos fazer aquilo que depende de nós: distanciamento e muita disciplina” explicou o prefeito em carta.

Escreva um comentário