Você sabia que existe um dia específico do ano mais longo que os demais? Esta segunda-feira (21) será o dia do solstício de verão no Hemisfério Sul. O fenômeno é o momento em que um dos hemisférios está mais voltado para o sol. Dessa forma, ele fica mais iluminado e por mais tempo, fazendo esse dia alcançar o pico de duração em todo o ano.

Isso acontece porque a linha do Equador, eixo de rotação da Terra que divide os hemisférios Norte e Sul, não está alinhada perfeitamente com o sol. Pense na famosa Torre de Pisa, na Itália. É como a Terra se parece em relação ao sol, um pouco inclinada. Por isso, os movimentos de rotação (movimento em torno do próprio eixo e que dura 24 horas) e translação (movimento em torno do sol e que dura 365 dias) do planeta provocam fenômenos como dias mais longos e dias mais curtos.

“À medida que o ano passa, um lado da Terra estará mais iluminado. Então, o solstício de verão acontece quando o Hemisfério Sul está no máximo de iluminação, quando o lado do Hemisfério Sul está mais voltado para o sol”, explica Thiago Signorini Gonçalves, astrônomo da Universidade Federal do Rio de Janeiro e coordenador de Comunicação da Sociedade Astronômica Brasileira (SAB).

A rigor, o solstício é um momento muito específico do dia, quando o hemisfério está no pico de iluminação. Nesse caso, será às 10h. As cidades localizadas abaixo do Trópico de Capricórnio estarão um pouquinho mais próximas do sol do que aquelas acima do trópico. Por isso, o dia nos estados da Região Sul e em parte do estado de São Paulo, incluindo a capital, será um pouco mais longos do que nos demais estados do país.

No entanto, não faça planos pensando em aproveitar algumas horas a mais de sol na praia ou no parque. O dia será cerca de um minuto mais longo, sobretudo se comparado ao dia anterior. Trata-se de um fenômeno astronômico, reflexo de uma série de outros fenômenos, como a rotação e translação, por exemplo.

Solstício de inverno e equinócio

Da mesma forma, o Hemisfério Norte experimentará o solstício de inverno, quando a luz solar está no ponto mais distante do ano. A situação se inverte em junho, quando o Hemisfério Sul terá um dia mais distante da luz solar, enquanto o Hemisfério Norte estará no máximo de iluminação.

Existe ainda o equinócio, o ponto intermediário dos dois solstícios. No equinócio, os dois hemisférios da Terra estão igualmente iluminados. Ele ocorre no início oficial do outono no Hemisfério Sul e da primavera no Hemisfério Norte. O próximo equinócio será em 20 de março.

Mas o solstício e equinócio não são apenas fatos curiosos sobre o nosso planeta. Eles influenciam diretamente a nossa vida. “São esses fenômenos que causam as estações na Terra. Quando o lado sul está mais iluminado é verão, e no Hemisfério norte está mais frio porque não recebe uma luz solar tão direta. A principal maneira de se perceber esses fenômenos é pela variação sazonal de temperatura que temos na Terra”, esclarece Gonçalves.

Marcelo Brandão – Repórter da Agência Brasil
Foto: Josep Monter Martinez/Pixabay

Escreva um comentário